Doria diz que assalto à Mercedes serve de lição para os próximos anos

Por Tercio David - Metro Jornal
Tom Vieira Freitas /Fotoarena/Folhapress
Doria diz que assalto à Mercedes serve de lição para os próximos anos

Em Interlagos, para acompanhar o GP do Brasil deste domingo, o prefeito de São Paulo João Doria disse ter pedido um reforço na segurança nas proximidades do autódromo, a fim de evitar que situações como a do assalto a integrantes Mercedes, na última sexta-feira.

Leia também
Integrantes da Sauber sofrem tentativa de assalto perto de Interlagos
Interlagos tem segurança reforçada após equipe da Mercedes ter sido assaltada
Equipe Mercedes é assaltada na saída do Autódromo de Interlagos

"Falei com o secretário de Segurança e determinei o aumento de agentes para que isto não acontecesse mais", disse o prefeito, aos jornalistas. "Fica a lição para os próximos anos e para os próximos eventos em São Paulo. Precisamos melhorar a questão da segurança e aumentar o efetivo dentro e também no entorno do autódromo", completou Doria, que aposta que a privatização do autódromo poderá ajudar na segurança.

“A privatização do autódromo vai contribuir para isso, para que tenhamos mais segurança no autódromo. Não só na parte interna, como na externa. Chegada e saída do autódromo", continuou.

Sobre as declarações de Felipe Massa, que corre seu último GP do Brasil pela Williams, de "sentia vergonha do país" devido a estes problemas com a violência, Doria discordou o piloto, que se despede da F-1 no fim da temporada.

"Não concordo com o Felipe de que devemos ter vergonha do país por causa de coisas como esta. Já fiquei sabendo de roubos que aconteceram em outros autódromos e nem por isto as pessoas ficaram dizendo que tinham vergonha de seu país", comentou Doria.

Além do assalto a membros da equipe Mercedes, integrantes da Sauber e da organização da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) escaparam de terem seus pertences roubados por bandidos, quando deixavam o autódromo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo