Grêmio sofre, mas avança à final da Libertadores

Por Metro Jornal e Estadão Conteúdo
Jogadores do Grêmio comemoram a classificação para a final - Edison Vara/Reuters
Grêmio sofre, mas avança à final da Libertadores

Apesar da derrota por 1 a 0 para o Barcelona (EQU), nesta quarta-feira, em Porto Alegre, o Grêmio se classificou para a decisão da Libertadores, contra o Lanús.

Com a vantagem conquistada no jogo de ida, quando venceu por 3 a 0 em Guayaquil, no Equador, o Tricolor Gaúcho poderia até mesmo perder por dois gols de diferença que ainda sim ficaria com a vaga para a sua quinta decisão.

O time da casa foi dono da partida e manteve a posse de bola no campo de ataque durante boa parte dos 90 minutos, mas criou muito pouco e levou Renato Gaúcho à loucura. Já o Barcelona-EQU foi preciso nas duas oportunidades que teve, marcou no primeiro tempo e ainda acertou a trave no início do segundo, mas não fez o suficiente para reverter a imensa vantagem gremista.

Pesou a favor do Grêmio, também, o cansaço no segundo tempo dos visitantes, que tiveram problemas com o voo e desembarcaram em Porto Alegre somente nas primeiras horas desta quarta-feira.

Mas o time brasileiro não tinha nada com isso e repetiu o feito obtido em 1983, 1984, 1995 e 2007, quando também foi à final da Libertadores – venceu em 83 e 95. Para levantar seu terceiro troféu da competição, os tricolores terão agora que passar pelo Lanús. A primeira partida, dia 22, será em Porto Alegre. Já a grande decisão, uma semana mais tarde, acontecerá na Argentina.

O jogo

O Grêmio entrou em campo sabedor de sua vantagem e com a clara proposta de não deixar o Barcelona-EQU jogar. Rapidamente, o time da casa ganhou o campo de ataque e passou a criar algumas oportunidades. Aos 15, Arthur recebeu na intermediária e finalizou com certo perigo. Cinco minutos depois, ele mesmo tocou para Fernandinho, que chegou cruzando. A sobra ficou com Luan, que bateu bonito de primeira e parou em bela defesa de Banguera.

Arthur e Luan eram os donos da bola no meio de campo, mas o Barcelona-EQU apostava na velocidade de seus pontas sempre que possível. Edílson sofria com Marcos Caicedo e foi por ali que o time equatoriano abriu o placar.

Aos 32 minutos, Caicedo recebeu na área pela esquerda, ganhou na dividida de Edílson, cortou Geromel e deixou Arthur no chão antes de cruzar. Kannemann conseguiu tirar em um primeiro momento, mas a sobra ficou com Jonatan Álvez, que dominou e fuzilou para a rede.

O gol diminuiu um pouco o embalo da torcida, mas apenas por três minutos. Aos 35, Fernandinho recebeu enfiada perfeita de Luan e cruzou para Cícero, que cabeceou completamente livre, mas jogou para fora. Foi o suficiente para a arquibancada voltar a embalar o Grêmio.

Se os donos da casa permitiram sustos do Barcelona-EQU no primeiro tempo, voltaram dispostos a acabar com eles no segundo. O Grêmio foi dono da posse de bola nos primeiros minutos, ganhou o campo de ataque, mas seguiu criando muito pouco.

Por outro lado, o Barcelona-EQU foi quase fatal logo em seu primeiro bom momento. Na única vez até então que ganhara o campo de ataque na etapa final, Jonatan Álvez foi acionado, fez bem o pivô e bateu de esquerda da entrada da área, na trave.

Mas foi só isso. Ramiro, pela direita, e Fernandinho, pela esquerda, auxiliavam na marcação e acabaram com as principais armas do adversário. A posse seguia toda do Grêmio e o alívio completo só não vinha pela má pontaria da equipe. Aos 18, Luan ficou com a sobra após erro de Díaz e bateu cruzado, mas a bola passou por todo mundo. Quatro minutos depois, Arthur aproveitou bobeira na defesa equatoriana e tocou para Cícero, que arrancou sozinho, mas chutou fraco, em cima de Banguera.

O cansaço já tomava conta do Barcelona-EQU e o Grêmio aproveitou para criar as oportunidades. Aos 29, Edílson levou a melhor pela direita e cruzou. A bola passou por Banguera, mas Arreaga salvou em cima da linha. Três minutos depois, Jael recebeu cruzamento da esquerda e cabeceou na trave. Nada que impedisse a grande festa da torcida após o apito final.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 0 X 1 BARCELONA-EQU

GRÊMIO – Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Kannemann e Cortez; Jaílson, Arthur, Ramiro (Michel), Cícero (Jael) e Fernandinho (Everton); Luan. Técnico: Renato Gaúcho.

BARCELONA (EQU) – Banguera; Pedro Velasco, Jefferson Mena, Arreaga e Beder Caicedo; Oyola, Minda, Esterilla (José Ayoví), Damián Díaz (Ariel Nahuelpán) e Marcos Caicedo (Erick Castillo); Jonatan Álvez. Técnico: Guillermo Almada.

GOL – Jonatan Álvez, aos 32 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Roberto Tobar (Fifa/Chile).

CARTÕES AMARELOS – Edílson, Kannemann (Grêmio); Esterilla, Arreaga, Pedro Velasco (Barcelona (EQU)).

RENDA – R$ 3.370.918,00.

PÚBLICO – 51.065 pagantes (54.128 torcedores).

LOCAL – Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

Loading...
Revisa el siguiente artículo