Sport quebra jejum e vence a Ponte Preta

Por Estadão Conteúdo
Jogadores do Sport comemoram o gol de André - Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Sport quebra jejum e vence a Ponte Preta

O Sport deu um passo importante na noite desta quarta-feira em busca de um feito histórico entre os times do Nordeste: avançar às oitavas de final da Copa Sul-Americana. Jogando na Ilha do Retiro, em Recife, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo não teve dificuldade para vencer a Ponte Preta por 3 a 1.

Como o gol fora de casa é critério de desempate, os pernambucanos têm uma larga vantagem no primeiro jogo e podem perder por até um gol em Campinas na próxima quarta-feira. O gol feito nos minutos finais dá a Ponte Preta o direito de vencer por 2 a 0 em casa para avançar.

Três gols diante da torcida afastam a crise que rondava o Sport nas últimas semanas. Sem vencer há seis jogos, com dois empates e quatro derrotas, Luxemburgo sofria com a pressão pelos resultados. Se não bastasse, o time não balançava as redes há quatro jogos, desde o empate por 2 a 2 com o Fluminense, na 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A bola parada voltou a assombrar os jogadores campineiros. Contra Botafogo, Atlético-MG e São Paulo, nas últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro, o time de Gilson Kleina sofreu com esse tipo de lance. E contra o Sport não foi diferente. Com apenas sete minutos de bola rolando, Mena cobrou um escanteio pela esquerda e Diego Souza subiu sozinho para testar. Aranha conseguiu defender, mas, no rebote, Ronaldo Alves chutou de primeira. A bola ainda bateu no peito de Aranha, mas entrou.

O gol no primeiro lance do jogo deu a tranquilidade que o Sport precisava para trabalhar a posse de bola. Luxemburgo encurtou o espaço entre as linhas de marcação e a Ponte tinha dificuldade para trocar passes. Com três volantes de ofício no meio-campo e sem Emerson Sheik para tentar uma jogada individual, o time de Campinas ficava refém das ligações diretas entre a defesa e o campo de ataque.

Em um novo escanteio pela esquerda, o Sport ampliou a vantagem. Aos 44 minutos, Mena levantou a bola na marca do pênalti e Rithely subiu exatamente entre Naldo e Marllon para testar no canto esquerdo de Aranha. A Ponte Preta saiu de campo no primeiro tempo sem arriscar nenhuma finalização. Na volta, Kleina colocou Renato Cajá no lugar de Elton.

A mudança era para dar mais mobilidade ao meio-campo, mas não resolveu o problema. Quando tinha a posse de bola, a Ponte trocava passes entre os zagueiros, sem nenhuma profundidade. E, quanto tinha que marcar, sofria para segurar as descidas pela esquerda, nas costas do Nino Paraíba. Com seis minutos, André deixou Diego Souza na cara de Aranha e o meia conseguiu bater em cima do goleiro, na primeira chance clara do segundo tempo.

O Sport teve mais três oportunidades em sequência de aumentar o placar. Na primeira Rithley achou o lateral Raul Prata nas costas da marcação, mas o lateral tentou o drible e acabou desarmado. Pouco tempo depois, em novo contra-ataque, Patrick bateu frente a frente com Aranha e bateu por baixo do goleiro, mas Nino salvou em cima da linha. Por fim, numa finalização de fora da área, a bola desviou em Luan Peres e explodiu na trave.

Depois de insistir, o Sport finalmente marcou o terceiro. Aos 30 minutos, Raul Prata conseguiu aproveitar uma falha de cobertura pela direita, dominou e teve tempo para pensar num cruzamento rasteiro para a pequena área. Também livre, André só empurrou para o fundo das redes. Pouco tempo depois a Ponte deu a sua primeira finalização do jogo. Com 37 minutos, Claudinho puxou o contra-ataque e lançou Felipe Saraiva, que tocou de primeira e diminuiu a vantagem pernambucana. Foi seu primeiro gol com o profissional em 12 jogos.

No sábado, às 21 horas, a Ponte Preta recebe o Atlético-GO no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. O Sport viaja até o Rio de Janeiro para enfrentar o Flamengo no estádio Luso-Brasileiro, às 16 horas de domingo, ambos pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:

SPORT 3 x 1 PONTE PRETA

SPORT – Magrão; Raul Prata, Ronaldo Alves, Durval e Mena; Patrick, Rithely, Sander e Diego Souza; Lenis (Rogério) e André (Anselmo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

PONTE PRETA – Aranha; Nino Paraíba (Claudinho), Marllon, Luan Peres e Danilo Barcelos; Naldo, Fernando Bob e Elton (Renato Cajá); Felipe Saraiva, Lucca (Jeferson) e Léo Gamalho. Técnico: Gilson Kleina.

GOLS – Ronaldo Alves, aos sete, e Rithely, aos 44 minutos do primeiro tempo. André, aos 30, e Felipe Saraiva, aos 37 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Durval, Sander e Diego Souza (Sport); Nino Paraíba, Fernando Bob e Danilo Barcelos (Ponte Preta).

ÁRBITRO – Gustavo Murillo (COL).

RENDA – R$ 114.825,00.

PÚBLICO – 6.254 pagantes.

LOCAL – Estádio da Ilha do Retiro, em Recife (PE).

Loading...
Revisa el siguiente artículo