Com pênalti polêmico, São Paulo vence o Cruzeiro

Por www.band.com.br
Lucas Pratto, jogador do São Paulo, comemora o gol de sua equipe - Antonio Cicero/Photo Press/Folhapress
Com pênalti polêmico, São Paulo vence o Cruzeiro

Não foi brilhante, velhos problemas ofensivos e defensivos se repetiram, mas o São Paulo abriu o segundo turno do Campeonato Brasileiro com vitória e está fora da zona de rebaixamento provisoriamente. Hernanes, que marcou dois gols e deu uma assistência, e Arboleda garantiram o resultado de 3 a 2 contra o Cruzeiro, que chegou a estar com a vitória nas mãos graças a Sassá, que marcou em duas oportunidades.

Com o resultado, o time paulista subiu para o 16º lugar, com 22 pontos, mesma pontuação da Chapecoense, que caiu para 17º, mas tem um jogo a menos por conta de excursão para jogos na Europa.

Mesmo vindo de duas derrotas consecutivas no Brasileirão para Coritiba e Bahia, o torcedor são-paulino mais uma vez mostrou que está ao lado do time. Em um domingo de sol na cidade de São Paulo, e de festa em comemoração ao Dia dos Pais, 56 mil espectadores lotaram o Morumbi e quebraram pela terceira vez consecutiva o recorde de público do Brasileirão. As outras foram contra o Grêmio (51 mil pessoas) e o Coritiba (53 mil).

E quem acordou cedo para acompanhar o jogo, às 11h, viu um time com caras novas em campo. Na primeira semana livre que teve desde sua contratação, Dorival Junior aproveitou para fazer ajustes na equipe, algumas por opção e outras por obrigação, como suprir os lugares de Cueva, suspenso, e Araruna, lesionado. Durante os treinamentos foram 15 jogadores e duas formações testadas: 4-2-3-1 e o 4-1-4-1, que acabou sendo a escolhida.

Com a nova disposição tática, Petros foi adiantado para jogar mais ao lado de Hernanes, na faixa central do campo, enquanto Marcos Guilherme e Marcinho tinham a incumbência de abrir a defesa adversária pelos lados, sem deixar de cumprir um papel defensivo. As alterações foram uma clara tentativa de municiar o atacante Lucas Pratto. Artilheiro da equipe na temporada com 12 gols, ao lado de Gilberto, o argentino vinha sofrendo nas últimas rodadas com a falta de boas oportunidades criadas para finalizar.

Só que toda a teoria não funcionou na prática. Logo no início de jogo um susto. Sassá sofreu pênalti de Renan Ribeiro depois de saída de bola errada no São Paulo. Na cobrança, o atacante acabou acertando a trave. Mais objetivo, os visitantes tiveram mais oportunidades de abrir o marcador. O primeiro lance de perigo do São Paulo veio apenas aos 27 minutos, em uma cabeçada sem direção de Pratto.

Focado na disputa da primeira partida da semifinal da Copa do Brasil, onde encara o Grêmio, em Porto Alegre, na quarta-feira, o Cruzeiro não contou com força máxima no Morumbi. A estratégia então foi se fechar atrás e deixar os defensores adversários com a bola. A dificuldade para criar ofensivamente e os erros de passe acabaram deixando a torcida impaciente, principalmente com Éder Militão, que ganhou a vaga de Jucilei no meio de campo.

E foi no momento de maior pressão quando Hernanes acertou uma bela cobrança de falta, no ângulo de Rafael, e garantiu a vantagem ao São Paulo no último lance antes do intervalo. O 1 a 0 no marcador, no entanto, surtiu pouco efeito. Na volta para o segundo tempo, Sassá aproveitou dois apagões da defesa do São Paulo para virar o placar. Primeiro o atacante apareceu livre em cobrança de escanteio e fez de voleio, e depois tomando a bola de Rodrigo Caio, convocado por Tite para a seleção brasileira.

Insatisfeito, Dorival abriu mão da tática e foi para o abafa, lançando Gilberto e Denilson em campo. E as mudanças deram certo. Hernanes encontrou Arboleda na área em cobrança de escanteio. O zagueiro subiu mais que Hudson e empatou. Logo depois, Gilberto foi lançando em velocidade e acabou caindo na área em dividida com a zaga do Cruzeiro. O árbitro marcou pênalti, muito contestado pelos mineiros. Decisivo, Hernanes não desperdiçou a oportunidade e fez a festa para os torcedores.

Loading...
Revisa el siguiente artículo