Brasília vira palco de Campeonato Mundial de Asa-Delta

Por Metro Jornal Brasília
O percurso da prova tem entre 100 km e 150 km - Reprodução
Brasília vira palco de Campeonato Mundial de Asa-Delta

Se você estiver no Distrito Federal, olhar para cima durante a tarde e enxergar algumas asas dançando no céu, saiba que podem não ser pássaros, mas pilotos praticando voo livre. Até 18 de agosto, Brasília será o palco do 21º Campeonato Mundial de Asa-Delta da FAI (Federação Aeronáutica Internacional). Os treinos começaram no último domingo, mas a competição para valer vai desta quarta-feira até dia 18; o encerramento ocorre dia 19.

Estão competindo 142 pilotos de 29 países. Eles decolam, entre às 12h e às 13h30, em uma rampa do Vale do Paranã, em Formosa (GO), com cerca de mil metros de altitude. Viajam sobre regiões do Distrito Federal e pousam por volta das 15h, na Esplanada dos Ministérios. O trajeto feito pelos pilotos tem entre 100 km e 150 km.

No mundial de asa-delta ganha quem faz mais rapidamente o percurso programado. Funciona assim: todos os pilotos decolam em todos os dez dias de competição, precisam passar pelos pontos definidos no mapa e pousar na Esplanada dos Ministérios. Todos os dias eles pontuam e os números são somados no fim da competição.

O presidente da CBVL (Confederação Brasileira de Voo Livre), Chico Santos, explica que não há prêmio e os que se saírem melhor ganham exclusivamente o título.

O Brasil é representado por 12 pilotos – entre eles André Wolf e Carlos Niemeyer, que ocupam a sexta e sétima posição no ranking da FAI dos melhores atletas.

Um dos favoritos é o atual campeão mundial, o italiano Christian Ciech. Ele ficou em primeiro lugar no mundial de 2015, realizado no México.

No topo da lista dos top 10, o australiano Jonny Durand também está na disputa.

Um lugar especial

Santos conta que as características geográficas da região e a seca enfrentada pelo Distrito Federal nesta época do ano formam o cenário perfeito para esportes de voo livre, como a asa-delta. “É bem seco e proporciona voos longos, tanto que dá para sair do Vale do Paranã e vir até Brasília voando”, declara.

O brasileiro Mário Campanella, 52, voa há 30 anos. Vencedor de um campeonato carioca nos anos 1990, ele mora na Holanda e representa o país em competições pelo mundo. Mário conta que voou em países como a Áustria, os EUA, a Itália e a França. “O lugar que  eu mais gosto de voar, porque acho que é mais espectacular em todos os sentidos e mais completo, é Brasília”, revela.

Esta é a terceira vez que o Brasil é a sede do mundial. A primeira foi em 1991, em Governador Valadares (MG), e a segunda em Brasília (DF), em 2003.

Serviço

É possível acompanhar a disputa, em tempo real, na internet, por meio do endereço: https://lt.flymaster.net/bs.php?grp=2040.

Você sabia?

Segundo a CBVL (Confederação Brasileira de Voo Livre), o primeiro voo livre no Brasil aconteceu em janeiro de 1974, no Rio de Janeiro (RJ) – o francês Stephan de Segonzac voou em uma asa-delta. O primeiro voo de parapente, por outro lado, aconteceu em 1987, também no Rio.

Loading...
Revisa el siguiente artículo