Gobbi comemora absolvição do Corinthians no STJD e repudia supostas ameaças

Por lyafichmann
Para o presidente do Corinthians, é triste ver pessoas confundindo futebol com a razão de viver | Divulgação Mario Gobbi lamentou as supostas ameaças sofridas pelo auditor do processo | Divulgação

Após acompanhar o julgamento do “caso Petros” no STJD, nesta quinta, no Rio de Janeiro, o presidente Mário Gobbi comemorou a absolvição do Corinthians e disse não haver mais dúvida de que o clube não agiu de forma irregular na escalação do jogador na partida contra o Coritiba, no dia 3 de agosto.

“O tribunal deu uma demonstração da seriedade do trabalho, do que deve prevalecer. O jogador estava com contrato em vigor até 2015, só fizemos reajustes, e isso é irrelevante para o mundo jurídico. Ganhamos em primeira instância, e agora em segunda. Se havia alguma dúvida, não existe mais”, disse o mandatário.

Questionado sobre a suposta ameaça sofrida pelo auditor Décio Neuhaus, Gobbi disse lamentar o ocorrido e garantiu que o Corinthians não tem nenhuma relação com o caso.

“O Corinthians repudia isso, não é da nossa linha e a história demonstra isso. Eu acho que ele [Neuhaus] deve pedir abertura de inquérito policial para que se apure quem foram os autores das ameaças que ele disse ter sofrido”, completou.

Presidente promete técnico no dia 1º de janeiro

Vivendo seus últimos momentos como presidente do Corinthians, Mário Gobbi confirmou que a definição do comando técnico da equipe não passará do dia 1º de janeiro de 2015. Embora as eleições presidenciais do clube sejam cruciais para a permanência ou saída de Mano Menezes, o dirigente disse que o clube não poderá ficar sem técnico caso dispute a Copa Libertadores.

“O treinador será escolhido pelo novo presidente, mas existe um fato novo, que é a provável disputa da Libertadores, que pode começar no fim de janeiro. Existe um consenso de que o que eu penso agora é o que menos importa, mas o Corinthians terá técnico no dia 1º de janeiro”, afirmou o presidente.

Ele não confirmou se o nome escolhido será o de Mano Menezes, mas reafirmou que, se fosse o presidente, renovaria com o atual treinador.

“Se eu fosse o presidente do Corinthians, o treinador seria o Mano Menezes. Ele é um dos melhores técnicos do Brasil e do mundo. É um expoente, fez um trabalho fantástico, assim como fez entre 2008 e 2010. Mas o brasileiro sofre de amnésia”.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo