Torcida do Atlético-MG terá de pagar R$ 1 mil por ingresso da final da Copa do Brasil

Por Tercio Braga
Torcida do Atlético-MG terá de pagar caro para ver a final da Copa do Brasil | Bruno Cantini/Reuters Torcida do Atlético-MG terá de pagar caro para ver a final da Copa do Brasil | Bruno Cantini/Reuters

Foi realizado na tarde desta terça-feira uma reunião entre os dirigentes do Cruzeiro e Atlético-MG na sede da Federação Mineira de Futebol para acordar os termos sobre a grande final da Copa do Brasil, que será realizada no Mineirão, no próximo dia 26. Houve muitas discordâncias entre os dois clubes sobre a quantidade e preço dos ingresso para os visitantes, que a Raposa quer cobrar R$ 1 mil.

O Cruzeiro disse que disponibilizou 2.736 ingressos para os atleticanos, carga menor que os 10% do RGC (Regulamento Geral de Competições) determina para os visitantes, e por isso a diretoria do Atlético fará um requerimento para a federação e para a CBF, pedindo a sua carga que é colocada na lei.

“O Cruzeiro ofereceu uma carga que descumpre o regulamento e o Atlético se reserva a fazer a requisição na forma legal. Caso isso não seja atendido, adotaremos as medidas desportivas ou eventualmente judiciais que forem necessárias”, disse o advogado do Galo, Lásaro Candido da Cunha.

O representante do Galo também reclamou do fato do Cruzeiro já ter iniciado a venda de ingressos antes mesmo da reunião, o que também fere o RGC. Sobre isso, o presidente da Raposa, Gilvan de Pinho Tavares, disse que fez isso porque pensou que o presidente rival manteria sua palavra de só fazer clássicos com torcida única e justificou o preço alto.

“O Cruzeiro disponibilizou ingresso para o Atlético numa proporção menor que os 10% porque nos tínhamos já uma decisão do presidente do Atlético anterior ao primeiro clássico da final em que ele disse que só faria jogos com torcida única, e acreditamos que ele ia continuar com essa palavra. Por isso disponibilizamos os ingressos para nossos sócios torcedores e as compras foram imediatas, quando ele se manifestou já tínhamos 40 mil vendidos e não dava tempo para recolher todos, mas mesmo assim disponibilizamos uma quantia para eles. O preço alto é porque é o que tinha disponível. É um lugar privilegiado no estádio e pode-se dizer até que é uma área VIP. Será também mesmo preço para o nosso torcedor que não é sócio”, justificou.

Com tantas divergências, ficou definido que nesta quarta-feira a PM irá realizar uma vistoria no Mineirão para definir a carga de ingressos que o Atlético poderá comercializar. Se o requerimento também for aceito, o Cruzeiro terá problemas com os ingressos já vendidos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo