Ex-dirigentes da Lusa receberam dinheiro no caso Héverton, aponta MP

Por Carolina Santos
Héverton atuou contra o Grêmio, apesar de estar suspenso pelo STJD | Divulgação Héverton atuou contra o Grêmio, apesar de estar suspenso pelo STJD | Divulgação

A crise na Portuguesa parece não ter fim. Após o rebaixamento antecipado para a Série C do Campeonato Brasileiro, o clube, agora, terá de lidar novamente com o fantasma que a mandou para a Série B no fim do ano passado: o “Caso Héverton”.

Inquérito do Ministério Público de São Paulo concluiu que funcionários da Lusa receberam dinheiro para omitir o fato de que o meia Héverton estava suspenso. Ele foi escalado de forma irregular contra o Grêmio, na última rodada do nacional de 2013, fato que fez o time rubro-verde perder quatro pontos e, consequentemente, cair para a segundona. A informação foi publicada nesta quarta-feira no jornal “O Estado de S. Paulo”.

Beneficiados com o rebaixamento, Flamengo e Fluminense surgiram como principais suspeitos de terem “comprado” a queda da Lusa. Três ex-dirigentes são apontados como suspeitos de terem omitido a suspensão: o ex-presidente Manuel da Conceição Ferreira, o advogado e ex-diretor jurídico Valdir Rocha e o ex-vice-presidente de futebol Roberto dos Santos.

A investigação, que ainda está em andamento, se sustenta em um e-mail enviado pela CBF à Federação Paulista de Futebol que comunica a suspensão de Héverton e foi lido por, pelo menos, seis funcionários. Além disso, foram descobertas conversas telefônicas entre o advogado do clube e membros do departamento jurídico. Por fim, foi entregue uma pasta ao então técnico, Guto Ferreira, com informações sobre todos os atletas. E não constava a suspensão de Héverton.

Em comunicado, a Portuguesa informou que não se pronunciaria “a fim de não prejudicar as investigações do ‘Caso Héverton’”.

Internamente, a Lusa apura os fatos.

Ex-presidente Manuel da Lupa é um dos acusados | Ale Cabral/ Futura Press Ex-presidente Manuel da Lupa é um dos acusados | Ale Cabral/ Futura Press

Da Lupa se diz alvo de ‘calúnias’

Ex-presidente da Portuguesa, Manuel da Conceição Ferreira, conhecido como Manuel da Lupa, se defendeu das acusações de que teria sido beneficiado com o rebaixamento do clube no ano passado.

“Infelizmente, eu e minha família estamos sendo alvos de calúnia, injúria e difamação. Vou aguardar o momento oportuno para recorrer ao Poder Judiciário, e essas pessoas que estão me acusando terão de provar em juízo tais alegações. Não seria capaz de prejudicar a Portuguesa, que tanto amo e a quem dediquei quase 10 anos”, informou trecho da nota do cartola, que dirigiu o clube até 31 de dezembro do ano passado, quando foi substituído por Ilídio Lico, atual mandatário.

Flamengo e Fluminense se colocaram à disposição para as investigações.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo