Torcedores que participaram de emboscada são transferidos para o CDP

Por Carolina Santos
Integrantes da organizada do Palmeiras são presos após emboscada | Edu Silva/Futura Press Integrantes da organizada do Palmeiras são presos após emboscada | Edu Silva/Futura Press

Os quatro torcedores do Palmeiras que participaram de emboscada contra torcedores santistas vão ser transferidos nesta terça-feira para o Centro de Detenção Provisória (CDP), de São Bernardo do Campo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os outros dois envolvidos na emboscada, que também estão sendo indiciados, seguem internados. Um deles está sedado na UTI do Hospital das Clínicas, em estado grave. O outro, que apresenta quadro de saúde estável, está no Pronto-Socorro Central de São Bernardo do Campo, em observação, e sob escolta policial. Ele teve escoriações pelo corpo e traumatismo na face.

Os acusados são indiciados por associação criminosa, homicídio culposo, direção perigosa e corrupção de menores. Segundo a SSP, no celular de um deles, havia mensagens que apontam a participação no crime. Além disso, dois deles já confessaram o envolvimento no crime.

Na emboscada, que aconteceu antes da partida entre as duas equipes no último domingo, o grupo abordou dois ônibus que transportavam santistas, na altura do quilômetro 18 da Via Anchieta, provocando um tumulto que resultou na morte de Leonardo da Mata Santos, de 25 anos.

Leia também:
Polícia prende seis envolvidos em briga entre torcedores na Anchieta
Torcedor palmeirense morre depois de briga na Anchieta

Segundo a SSP, cerca de 100 integrantes de uma torcida organizada palmeirense tentaram forçar a parada dos ônibus, que não chegaram a frear totalmente. Os agressores, porém, arremessaram paus e pedras. Na confusão, dois carros atropelaram palmeirenses, e o ocupante de um dos veículos efetuou disparos contra um dos torcedores. Ao menos seis pessoas ficaram feridas.

Este foi o terceiro caso este ano de briga de torcidas em São Paulo, que resultou na morte de torcedores. Em fevereiro, um santista morreu, após sofrer agressões de um grupo de são-paulinos na zona leste da capital paulista. Márcio Barreto de Toledo, de 34 anos, estava em um ponto de ônibus, quando torcedores do time rival o atacaram com barras de ferro.

Em agosto, o torcedor do Palmeiras Gilberto Torres Pereira, de 31 anos, foi espancado e sofreu traumatismo craniano por integrantes da Gaviões da Fiel, do Corinthians. As torcidas rivais se encontraram na Estação Franco da Rocha, da CPTM. Os palmeirenses estavam a caminho do Estádio do Pacaembu para assistir ao clássico entre o Palmeiras e o São Paulo, e os corintianos voltavam de uma festa na quadra da escola de samba.

Loading...
Revisa el siguiente artículo