Fifa não irá publicar relatório sobre corrupção

Por Tercio Braga
Hans-Joachim Eckert, presidente da Câmara Adjudicatória do Comitê de Ética da Fifa, / Divulgação/Fifa Hans-Joachim Eckert, presidente da Câmara Adjudicatória do Comitê de Ética da Fifa, / Divulgação/Fifa

A Fifa anunciou nesta sexta-feira que não irá divulgar na íntegra o relatório de autoria de Michael Garcia, que investiga a corrupção das sedes da Copa do Mundo de 2018 e 2022.

A justificativa foi feita através do presidente da Câmara Adjudicatória do Comitê de Ética da Fifa, o alemão Hans-Joachim. De acordo com ele, “publicar este relatório na íntegra colocaria a comissão de ética da Fifa e a Fifa como um todo, numa situação jurídica muito delicada”. A declaração foi feita ao site da entidade máxima do futebol.

Em setembro, Eckert recebeu um relatório de 350 páginas feito por Garcia sobre o processo que definiu Rússia e Qatar como sedes dos Mundiais de 2018 e 2022, respectivamente.

“O vice-presidente da Câmara de Adjudicatória e eu agora temos a tarefa de elaborar a forma apropriada de publicação. Parte do meu exame atual envolve decidir de que forma essa publicação apropriada vai acontecer, se isso significa a divulgação de uma declaração sobre o relatório da investigação ou se certas partes do relatório do inquérito serão publicadas, mantendo o anonimato, ou mesmo uma combinação dessas possibilidades”, avisou.

A decisão sobre eventuais punições também será decidida por Eckert.

Desde que Garcia, que é ex-procurador federal dos Estados Unidos, concluiu a investigação, a Fifa tem sido pressionada para que o relatório seja divulgado. O presidente da Uefa, Michel Platini, é uma das pessoas que se manifestaram publicamente a favor dessa medida.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo