Brasil perde para a França e é eliminado do Mundial de Basquete

Por Tercio Braga

O Brasil foi derrotado pela França e disse adeus ao Mundial de Basquete da Turquia nas oitavas de final. Jogando em Ancara, a equipe comandada por Luiz Augusto Zanon perdeu por 61 a 48.

A partida começou equilibrada e o Brasil chegou a liderar o placar nos primeiros dez minutos, mas a performance no segundo quarto prejudicou a seleção, que marcou apenas cinco pontos e foi para o intervalo perdendo por onze.

A seleção brasileira voltou para a segunda metade e conseguiu encaixar uma bola de três com Patrícia, diminuindo a desvantagem, mas as francesas seguraram a reação. No último quarto, o Brasil pontou mais que o rival, o que não foi suficiente para igualar o marcador.

A destaque do jogo foi a pivô Sandrine Gruda, com 17 pontos e 8 rebotes para a equipe europeia. Do lado brasileiro, Érika terminou com 11 e foi a cestinha.

Na próxima fase, a França terá pela frente a seleção dos Estados Unidos, atual campeã do Mundial. A partida será nesta sexta-feira, em Istambul. As equipes se enfrentaram na primeira fase em 2010, na República Tcheca, e as norte-americanas venceram por 81 a 60.

Já o Brasil volta para casa com apenas uma vitória em quatro jogos. A equipe sofreu derrotas para Espanha, República Tcheca e França, e derrotou a seleção do Japão.

Adrianinha confirma aposentadoria da seleção

Depois da eliminação do Brasil nas oitavas de final do Mundial de Basquete feminino, a experiente armadora Adrianinha confirmou a aposentadoria da seleção.

Aos 35 anos, ela conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000, e somou ao longo de sua carreira 1.113 pontos em 127 jogos oficiais com a camisa verde-amarela.

“Dessa vez o anúncio é para valer. Em 2012, havia anunciado, mas o Zanon havia me chamado para participar do projeto e vim. Agora estou com 35 anos, tenho uma filha de oito anos e quero ter mais um filho. O que eu podia fazer para contribuir, agora é a vez dessa meninada que está vindo aí. Elas demonstraram dedicação e que podem crescer muito e evoluir. Para mim foi uma honra ter participado nesses dois anos do começo do processo de renovação”, disse Adrianinha.

“Nesses anos dedicados a Seleção Brasileira levo só coisas boas. Foi com a seleção que conheci minha melhor amiga, a Alessandra [Oliveira, ex-jogadora], e onde eu tive muitas experiências gratificantes. Conheci o mundo viajando com o basquete e tive a honra de disputar quatro olimpíadas e quatro mundiais. Foi por causa da seleção que realizei o sonho de jogar na WNBA. Só tenho a agradecer tudo que a seleção me deu. Nunca teria sonhado em ter todas essas oportunidades sem o basquete e a seleção brasileira”, completou a armadora do América Basquete (PE) na temporada 2014/15 da Liga de Basquete Feminino.

Sobre a eliminação no Mundial, o técnico Luiz Augusto Zanon lamentou o início de jogo ruim contra a França, mas destacou o amadurecimento da jovem equipe com a participação no torneio.

“Eu queria agradecer a todas essas jogadoras o objetivo e o amadurecimento precoce que elas mostraram nesse período do Mundial. Nós sabemos que é difícil jogar uma competição de alto nível como essa. O início do jogo foi inseguro e trouxe a incerteza que as tirou do campeonato. Posso dizer que o ataque foi nosso grande problema, não fluiu como deveria, mas em compensação tivemos boas defesas. Vários aspectos precisam ser corrigidos. Mas de qualquer forma tenho muito que agradecer a toda comissão técnica e nossas atletas que se dedicaram e não desistiram”, comentou.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo