Torcida protesta em frente ao CT do Corinthians

Por Tercio Braga
Torcida protesta no CT Joaquim Grava / Felippe Facicani/Bradesco Esportes FM Torcida protesta no CT Joaquim Grava / Felippe Facicani/Bradesco Esportes FM

Insatisfeitos com a sétima colocação no Campeonato Brasileiro, com 40 pontos, os aproximadamente 50 torcedores foram protestar em frente ao CT Joaquim Grava nesta terça-feira contra o técnico Mano Menezes, os jogadores e a diretoria. Com isso, a equipe de Mano Menezes vai enfrentar o Atlético-MG, nesta quarta-feira, em Itaquera, pela Copa do Brasil, sob forte pressão.

Algumas faixas foram estendidas além de inúmeros gritos de guerra. “Rema rema remador, pau no c… do treinador, jogadores é vigarista, pau no c… do massagista, se o massagista não corresse, pau no c…do presidente… se o Corinthians não ganhar, olê olê olá, o pau vai quebrar”; “Gobbi c…fora do Timão”; “Ô jogadores prestem atenção, muito respeito com a camisa do timão” e “É quarta-feira!” foram alguns dos gritos dos torcedores na porta do CT corintiano.

Teve também barulho de explosivo, de artefatos atirados de fora para dentro do local de treinamentos.

A Polícia Militar teve que ser chamada pelo clube e levou um enorme efetivo ao CT do Corinthians.

Este foi a segunda manifestação feita pela torcida corintiana. Na semana passada, eles também compareceram ao CT para protestar contra o técnico Mano Menezes.

Para tentar minimizar a pressão, os jogadores Fábio Santos, Ralf e Renato Augusto foram defender o técnico Mano Menezes, na última segunda-feira, observados de perto pelo presidente Mário Gobbi.

Duas derrotas seguidas não são nada, diz Mano

Mano preferiu evitar críticas individuais e focar no coletivo | Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians Mano nega que Corinthians jogue por uma bola | Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O momento do Corinthians não é dos melhores. As duas derrotas seguidas – para Figueirense e Atlético-PR – afastaram a equipe do G-4 e aumentaram a pressão, principalmente sobre o técnico Mano Menezes. Na segunda, Ralf, Fábio Santos e Renato Augusto foram a público apoiar o treinador. Nesta terça-feira, o próprio comandante compareceu à entrevista coletiva no CT Joaquim Grava.

O primeiro tema abordado por Mano foi o protesto que aconteceu nesta tarde, quando cerca de 50 torcedores estiveram no CT para expressar descontentamento contra jogadores, treinador e diretoria. Segundo o técnico, a manifestação não terá peso nenhum no duelo desta quarta-feira, contra o Atlético-MG, pela partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

“Não influencia para mais ou para menos. Já temos uma boa trajetória neste ano para saber como vamos ser contra o Atlético-MG. O adversário tem uma característica definida, acho que os jogos serão parecidos com os que já fizemos com eles”, analisou o comandante, que ressaltou a importância das manifestações não atrapalharem o trabalho.

“Essas músicas estamos acostumados a ouvir. Muita coisa que você ouve tem de separar. Não pode deixar isso atrapalhar no dia a dia. Não é gostoso, isso eu posso dizer. Se você experimentar um cara gritando isso no seu ouvido quando estiver escrevendo uma matéria, vai entender o que estou falando”, explicou.

A má fase de Elias foi outro tema que o treinador teve que enfrentar. Mas Mano preferiu evitar críticas individuais e focar no coletivo.

“Não gosto de individualizar, e não vou fazer isso com o Elias ou a qualquer outro jogador. Todos sabem que momento é momento, e que se o jogador não estiver rendendo bem, é óbvio que sai da equipe e outro entra. Tenho de ter o mesmo respeito pelo jogador que entra. Valeu para Jadson, para Renato Augusto…”, ponderou Mano Menezes.

Assim como minimizou o momento ruim de Elias, o treinador fez o mesmo com a sequência de derrotas do Timão, que foi superado por Figueirense e Atlético-PR.

“Duas derrotas consecutivas não são nada em uma competição de 38 jogos. Não tem por que a equipe perder a confiança. É tentar corrigir os erros e voltar a ganhar, como vinha acontecendo até aqui. O torcedor pode ir confiante para o estádio”, afirmou Mano, que fez questão de dizer que não está preocupado com uma possível saída do clube no fim do ano.

“Não vou ficar falando sobre esse assunto, porque toda semana ficaria aqui fazendo suposições. Quando chegarmosao final do ano, o Corinthians terá a possibilidade de renovar comigo e eu terei a possibilidade de renovar com o Corinthians”, concluiu.

Loading...
Revisa el siguiente artículo