Político pede desculpas a Ronaldinho Gaúcho por comentário racista

Por Tercio Braga
Ronaldinho Gaúcho durante a apresentação no novo clube | Demian Chavez/Reuters Ronaldinho Gaúcho durante a apresentação no novo clube | Demian Chavez/Reuters

O político que chamou Ronaldinho Gaúcho de macaco voltou às redes sociais, mas agora para se desculpar. Carlos Treviño, integrante do Partido Ação Nacional, corre o risco de ser expulso do partido após uma mensagem racista publicada em seu Facebook.

“Ofereço minhas sentidas desculpas para Ronaldinho por meu comentário infeliz. Assumo a responsabilidade dos meus atos. Peço sinceras desculpas ao Querétaro e a sua torcida pela minha expressão lamentável. Como pessoa e jogador, Ronaldinho tem todo o meu respeito. Ao partido ofereço minha sincera desculpa pela declação imprudente, que vai contra a instituição e seus princípios”, escreveu o político pelo Twitter.

Segundo a imprensa mexicana, o partido de Carlos Treviño iniciou um processo interno para expulsar o político, que foi alvo ainda da ira de diversos internautas do país.

Também pelo Twitter, o presidente do PAN em Querétaro, Jose Baez, anunciou que o partido deve prestar queixas ao Conapred (Conselho Nacional para Prevenir a Discriminação). Se Treviño for enquadrado nos crimes de racismo pode pegar até três anos de prisão.

 

O caso

Treviño Núñez, que exerceu o cargo de secretário Social em Querétaro entre 2006 e 2009, ficou irritado com o caos no trânsito provocado pela apresentação do jogador na sexta-feira passada no estádio Corregidora de Querétaro (região central do México) e publicou um texto em seu Facebook.

“Tento ser tolerante, mas detesto futebol e o fenômeno de idiotice que produz. Detesto ainda mais porque as pessoas atrapalham e inundam as avenidas para fazer com que demore duas horas a chegar em casa… E tudo para ver um macaco… Brasileiro, mas ainda assim um macaco. Isto é um circo ridículo”, escreveu na mensagem que apagou um tempo depois.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo