Político mexicano chama Ronaldinho de macaco

| Lars Baron/Bongarts/Getty Images Ronaldinho Gaúcho foi alvo de um insulto racista | Lars Baron/Bongarts/Getty Images

O brasileiro Ronaldinho Gaúcho, recentemente contratado pelo Querétaro do México, foi alvo de um insulto racista de um político mexicano, irritado com o caos no trânsito provocado pela apresentação do jogador na sexta-feira passada no estádio Corregidora de Querétaro (região central do México).

“Tento ser tolerante, mas detesto futebol e o fenômeno de idiotice que produz. Detesto ainda mais porque as pessoas atrapalham e inundam as avenidas para fazer com que demore duas horas a chegar em casa… E tudo para ver um macaco… Brasileiro, mas ainda assim um macaco. Isto é um circo ridículo”, escreveu no Facebook Carlos Manuel Treviño Núñez, integrante do Partido Ação Nacional.

Treviño Núñez, que exerceu o cargo de secretário Social em Querétaro entre 2006 e 2009, apagou o comentário pouco depois, mas o texto já havia dominado as redes sociais.

No domingo à noite, a diretoria do Querétaro reagiu ao insulto e solicitou uma “punição exemplar”.

“Depois da lamentável publicação feita por uma pessoa de status público, o senhor Carlos Manuel Treviño Núñez, feita nas redes sociais e insultando nosso jogador Ronaldo de Assis Moreira ‘Ronaldinho’, exigimos às respectivas autoridades que tomem ações no assunto”, afirma um comunicado do clube.

No mesmo comunicado, o clube advertiu que pretende seguir até as “últimas consequências da lei para que este tipo de expressão não volte a afetar nossos jogadores”.

Caso Aranha

O goleiro do Santos Aranha foi chamado de macaco por torcedores gremistasdurante a vitória do Santos por 2 a 0, pela ida das oitava de final da Copa do Brasil.

Por causa das ofensas, o clube gaúcho foi multado em R$ 54 mil e excluído da competição pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) por conta do ocorrido.

 

Os torcedores denunciados estão proibidos de entrar no estádio por 720 dias, dois anos e o árbitro Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO) foi multado em R$ 1.600 e suspenso por 90 dias por não relatar as ofensas na súmula, e os auxiliares também foram punidos por esse motivo – multa de R$ 1 mil e suspensão de dois meses.

Loading...
Revisa el siguiente artículo