Guerrero diz não ver discriminação em gritos de "bicha"

Por Carolina Santos
Guerrero disse que ainda não foi procurado para tratar de renovação | Mauro Horita/AGIF/Folhapress Guerrero disse que ainda não foi procurado para tratar de renovação | Mauro Horita/AGIF/Folhapress

Em um manifesto divulgado nesta sexta-feira, o Corinthians pediu que seus torcedores parassem com os gritos de “bicha”, fato que vinha se tornando comum quando o goleiro adversário ia cobrar tiro de meta. Questionado sobre o assunto, o atacante Paolo Guerrero disse que nunca entendeu os gritos como ofensa.

“Até agora eu não percebi discriminação, sempre entendi isso como uma brincadeira, uma maneira de tentar tirar a concentração do adversário. Isso é um tema que tem que ser resolvido entre os torcedores. Eu não escuto. Estou dentro de campo e concentrado no meu trabalho”, disse ele em entrevista coletiva.

Leia também:
Em manifesto, Corinthians pede fim de gritos de ‘bicha’ na torcida

Outro ponto levantado na coletiva foi a renovação de contrato do peruano, que tem vínculo com o Timão até o meio do ano que vem. Assim, ficaria livra para assinar com outro clube no fim deste ano. Ele garante que ainda não houve conversas e que está focado nos títulos brasileiros e da Copa do Brasil, mas disse que uma conversa será inevitável.

“Não posso dizer se vou ficar ou não, porque ainda não conversamos sobre isso. No momento não estou pensando nisso, estou focado nos títulos, quero ser campeão, mas certamente em algum momento vamos ter que parar para falar sobre o assunto”, falou o atacante, que ainda disse que não se considera um ídolo do Corinthians, mesmo tendo marcado o gol que garantiu ao time o Mundial de 2012.

Loading...
Revisa el siguiente artículo