Gremista volta a comentar racismo, "foi um impulso"

Por Nadia
Em prantos, Patrícia pediu perdão ao goleiro Aranha | Luciano Leon/Raw Image/Folhapress Em prantos, Patrícia pediu perdão ao goleiro Aranha | Luciano Leon/Raw Image/Folhapress

A torcedora do Grêmio, Patrícia Moreira, voltou a pedir desculpas ao jogador Aranha, a quem ela foi flagrada xingando de ‘macaco’ na partida entre Grêmio e Santos. Chorando, a gremista se diz arrependida e que a intenção não foi de ofender o goleiro, e sim tirar sua concentração.

“Foi num impulso. Estávamos perdendo de 2 a 0, fui junto com a torcida. Isso vem da nossa rivalidade com o Inter, o mascote deles é um macaco. E até contra o Bahia a gente cantou essa musiquinha”, disse a torcedora no programa Encontro com Fátima Bernardes da Rede Globo.

Ameaçada e sem poder ir à sua casa, a jovem, que torcia pelo Internacional, assim como toda sua família, contou como começou a torcer pelo Grêmio.

“Nunca vi meu time ganhar nada, eu era Colorada quando pequena. Fui comprada com uma bicicleta. Deveria ter uns 7 anos e meu padrinho disse que se eu virasse gremista ganharia uma. E o pai do meu amigo dizia que se eu fosse Colorada não poderia brincar com ele, então virei gremista”, contou.

Ela declarou ainda que tirou uma lição sobre o acontecimento. “Aprendi a respeitar o próximo, não ser ‘maria vai com as outras’ e que a família é o mais importante”.

Defesa

O advogado da torcedora, Alexandre Rossato, também participou do programa para falar sobre a defesa em relação à acusação de injúria racial, feita à Patrícia e outros quatro torcedores identificados pela agressão.

Ele explicou que caso ela seja indiciada após o inquérito ser concluído, a defesa será baseada em que Patrícia não é racista e foi tomada por a emoção e frustração de o time dela estar perdendo, numa competição eliminatória.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo