Torcedores do Grêmio depõem sobre caso de racismo

Por Carolina Santos
 O torcedor Rodrigo Rychter prestou depoimento em Porto Alegre | Marcelo Oliveira/Agência RBS/Folhapress O torcedor Rodrigo Rychter prestou depoimento em Porto Alegre | Marcelo Oliveira/Agência RBS/Folhapress

Dois torcedores do Grêmio prestaram depoimento nesta terça-feira, na 4ª Delegacia de Porto Alegre, por suspeita de terem praticado atos racistas contra o goleiro Aranha, do Santos, no jogo da última quinta-feira, pela Copa do Brasil. Na saída do local, ambos negaram que tenham ofendido o jogador santista com ofensas racistas.

Até o momento foram intimadas três pessoas a prestarem depoimento na polícia. A terceira delas, Patrícia Moreira, flagrada pelas câmeras da “ESPN” chamando o santista de “macaco”, só deve prestar depoimento na quinta-feira.

Os dois torcedores que prestaram depoimento hoje foram Rodrigo Rychter e Tiago Bulzing. O segundo, aliás, também recorreu à internet para provar sua inocência, mostrando por meio de uma foto ampliada que ele não estava no setor do estádio onde teria sido identificado pelo clube, mas sim em outra parte da Arena Grêmio.

“Ontem aconteceu com certeza a coisa mais injusta em minha vida, fui intimado a depor como suspeita de racismo ao goleiro Aranha, no jogo contra o Santos. Hoje fiz meu depoimento, e entrevista a diversas emissoras, pois não tenho o que esconder, não fiz NADA. Estava em outro setor do estádio, no 4º Andar, onde fico em todos os jogos com meu irmão, e isso já foi esclarecido na delegacia. Buscarei meus direitos, e ver o que posso fazer com relação a processos. LAMENTÁVEL! Uma coisa é certa, cada dia mais perco a vontade de ir até o estádio, e depois de 8 anos e meio, providenciarei para me desassociar!”, postou o torcedor na web.

Leia também:
Polícia identifica 3º torcedor acusado de racismo contra Aranha

Loading...
Revisa el siguiente artículo