Polícia identifica 3º torcedor acusado de racismo contra Aranha

Por Carolina Santos
Torcedora Patricia Moreira foi flagrada xingando Aranha de macaco na Arena do Grêmio | Reprodução Torcedora Patricia Moreira foi flagrada xingando Aranha de macaco na Arena do Grêmio | Reprodução

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul identificou na última segunda-feira o terceiro torcedor do Grêmio envolvido em ofensas racistas contra o goleiro Aranha, do Santos, no duelo entre as duas equipes na última quinta-feira, pela Copa do Brasil. Assim, a 4ª Delegacia de Polícia emitiu intimação para três pessoas.

Uma delas, aliás, é Patrícia Moreira, flagrada pelas câmeras da “ESPN” chamando o santista de “macaco”. Ela só deve prestar depoimento na quinta-feira.

Enquanto se prepara para contar sua versão, a gremista ainda busca um advogado, pois o profissional procurado não aceitou assumir a causa.

Eles também…

Em meio ao episódio com Aranha, a diretoria gremista agora se envolveu em polêmica com um dos principais símbolos do rival Internacional. Em entrevista à Rádio Gre-Nal, o vice- presidente gremista, Renato Moreira, criticou os colorados por terem um macaco como mascote.

“Não há nada mais racista do que ter um símbolo que é um macaco chamado Escurinho, que se trata de um grande ídolo do Internacional”, disse Renato.

O mascote em questão é uma homenagem ao atacante Escurinho, um dos maiores ídolos da história do Inter, que fez muito sucesso nos anos 70.

Leia também:
Grêmio suspende a Geral por tempo indeterminado

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo