Torcedora gremista que cometeu ato racista será intimada a depor

Por Tercio Braga

A torcedora que xingou o goleiro do Santos ´Aranha´ de ´macaco´ será intimada a depor. A polícia abriu inquérito para investigar os envolvidos no ato racista, que podem pegar até três anos de prisão. O Grêmio já identificou dez torcedores. E diz que vai proibi-los de entrar no estádio.

Reportagem de Ticiano Kessler
Aranha – goleiro do Santos
Fábio Koff – presidente do Grêmio
Cléber Ferreira – delegado
Arouca – volante do Santos

Grêmio deve ser denunciado

Torcedora Patricia Moreira foi flagrada xingando Aranha de macaco na Arena do Grêmio | Reprodução Torcedora Patricia Moreira foi flagrada xingando Aranha de macaco na Arena do Grêmio | Reprodução

O episódio em que o goleiro Aranha, do Santos, foi ofendido com gritos racistas, na última quinta-feira, no jogo diante do Grêmio, pelos torcedores adversários, terá novos capítulos. A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) confirmou que denunciará o clube gaúcho pelo ocorrido.

De acordo com o Procurador Geral, Paulo Schmitt, o Tricolor gaúcho responderá por infração ao artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

“As imagens já foram solicitadas e nelas é possível identificar nitidamente uma torcedora xingando o atleta e vários torcedores fazendo imitações de macaco. Não há dúvida quanto ao fato portanto o clube será denunciado por infração ao artigo 243-G (e seus parágrafos) do CBJD”, disse Schmitt.

Leia também
• Torcedora é afastada do trabalho após ofensas racistas
• Aranha cita Luther King em nota de repúdio à ofensas racistas

O Grêmio será denunciado pela prática de ato discriminatório relacionado ao preconceito em razão da raça, de acordo com o que é previsto no artigo 243-G. Caso seja condenado, o clube gaúcho pode receber multa de até R$ 100 mil, além da perda de pontos de três pontos.

O fato foi colocado no adendo da súmula enviado pelo árbitro horas após o jogo.

Afastados

O Grêmio excluiu dois sócios do clube depois do caso de racismo contra o goleiro Aranha, do Santos. Outros oito responsáveis pela ofensa foram identificados e também foram proibidos de frequentar o estádio da equipe gaúcha.

Confira o adendo na íntegra:

“Informo que ao chegar ao hotel, advindo do estádio, por volta das 23:50h, tive conhecimento através da imprensa que durante a partida existiram atos de racismo oriundos da torcida do Grêmio direcionados ao goleiro da equipe do Santos F.C., Sr. Mario Lúcio Duarte Costa, nº 1.

Relato que aos 41 minutos do segundo tempo, durante uma paralisação do jogo, dois atletas que se encontravam no banco de reservas da equipe do Santos, nº 7, Sr. Robson de Souza e nº 10, Sr. Gabriel Barbosa Almeida, me relataram que o goleiro da sua equipe estava sendo vítima de atos de racismo, momento em que me dirigi até o referido atleta, o mesmo confirmou tal fato. Contudo, nenhum integrante da equipe de arbitragem ouviu ou presenciou tais atos. Após esta paralisação o jogo teve prosseguimento normal sem qualquer relato de outro atleta.”

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo