Aranha cita Luther King em nota de repúdio à ofensas racistas

Por Nadia
O goleiro Aranha foi xingado muitas vezes pelos torcedores tricolores | Pedro H. Tesch/Brazil Photo Press/Folhapress O goleiro Aranha foi xingado muitas vezes pelos torcedores tricolores | Pedro H. Tesch/Brazil Photo Press/Folhapress

Mais uma vez o futebol brasileiro protagonizou lamentáveis cenas de racismo. Dessa vez a vítima foi o goleiro do Santos Aranha, que foi xingado muitas vezes pelos torcedores durante partida da Copa do Brasil contra o Grêmio, em Porto Alegre. O jogador se pronunciou por meio de um comunicado nesta sexta-feira citando Martin Luther King, o mais famoso ícone norte-americano na luta contra o preconceito.

Confira o comunicado:

Gostaria de dizer a todos os interessados nesse polêmico e triste episódio de ontem, que depois de uma noite mal dormida, acordei aliviado e satisfeito, porque ao meu modo de ver, o racismo de qualquer modo ou gênero é um mal e todo mal não detectado cresce e se fortalece.

Ontem, esse mal mostrou a sua cara e isso foi bom porque tenho certeza de que será, mais uma vez, combatido e enfraquecido, como em 1963, quando Martin Luther king fez o seu famoso discurso “I Have a Dream”

“Eu tenho um sonho. Que um dia viveremos em uma nação onde as pessoas não serão julgadas pela cor da pele, mas sim pelo conteúdo de seu caráter”.

Leia mais:
Torcedora é afastada do trabalho após ofensas racistas

Racismo e violência

Após a partida, o técnico santista Oswaldo de Oliveira se mostrava desiludido com a situação.

“A recorrência é o fator abominável. O Arouca sofreu com isso no Paulistão e não tenho notícias de que alguma coisa tenha acontecido. Não podemos deixar o caso dormir, porque senão ganha proporção, mas o cara vem, faz isso e fica impune fica motivado a voltar a fazer a mesma coisa”, declarou.

Oswaldo comparou o racismo aos casos de violência nos estádios e disse que nesse caso já começa a acreditar que a melhor coisa é não falar mais nada.

“A gente deveria parar de falar e as autoridades punirem, porque enquanto a gente badala isso e a punição não acontece a proporção aumenta. É similar as questão da violência, quanto mais se fala e menos se pune a gente vê os casos se multiplicarem. A gente vive num país em que a classe política e torcedores de futebol são abonados de qualquer punição. Tinha que ser tratado com mais rigor”, disse ele.

Em nota, Grêmio condena racismo e promete identificar torcedores

Em nota oficial, o Grêmio condenou os gritos com ofensas racistas direcionados ao goleiro Aranha, do Santos, na noite desta quinta-feira (28), em Porto Alegre, e informou que irá tomar providências para identificar os torcedores envolvidos no episódio.

Segundo comunicado divulgado no site oficial do clube, o Tricolor gaúcho também demonstrou solidariedade e apoio ao jogador, fazendo questão de ressaltar que o comportamento de parte da própria torcida representa atitudes individuais e isoladas.

Além disso, o Grêmio ainda prometeu proibir os responsáveis pelo crime, caso sejam eles sejam reconhecidos como sócios do clube, assim como enviará às autoridades policiais o material recolhido com o sistema de câmeras do estádio para que as atitudes cabíveis em âmbito criminal sejam tomadas.

Durante o primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil,vencido pelo Santos por 2 a 0, Aranha foi vítima de racismo ao ser chamado de “macaco”. Pelo menos uma torcedora foi flagrada ofendendo o atleta.

Confira abaixo a íntegra da nota de repúdio divulgada no site do Grêmio:

“O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense lamenta e repudia o ato de racismo ocorrido na noite desta quinta-feira, durante partida realizada pela Copa do Brasil, na Arena do Grêmio. O Clube se solidariza com o atleta Aranha e com seu clube, Santos, ressaltando que atos como esse são fruto de atitudes individuais e isoladas, que em nada representam a grandiosidade e o respeito da torcida gremista.

Informamos que o Departamento Jurídico do Clube, em conjunto com a administração da Arena, já está tomando todas as medidas possíveis para que os envolvidos neste episódio sejam identificados e para que os materiais disponíveis sejam enviados às autoridades policiais, a fim de tomarem as providências cabíveis no âmbito criminal.

No que se refere às ações administrativas, caso os responsáveis identificados sejam sócios do clube, estes serão imediatamente suspensos do Quadro Social e proibidos de ingressar no estádio. Reiteramos que o Grêmio tem sido um incentivador de iniciativas que visam coibir esse tipo de crime e que continuará alerta e atuante na luta contra a discriminação racial”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo