Bom Senso dispara contra o calendário da CBF de 2015

Por lyafichmann
Por meio de nota, o movimento deixa claro o descontentamento com a CBF, que demostra desinteresse em resolver alguns impaces | Reprodução/Facebook O Bom Senso ataca o calendário em oito pontos | Reprodução/Facebook

Um dia após a divulgação do calendário do futebol brasileiro para 2015, o Bom Senso F.C., movimento formado por atletas dos principais clubes do país, se pronunciou. Na visão do grupo, “o calendário de 2015 também tomou de 7 a 1 e ainda tem gente comemorando o gol contra”, em alusão à derrota sofrida pela Seleção Brasileira para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo.

Leia também:
• Sem parada para Copa América, CBF divulga calendário 2015

Em texto publicado nas redes sociais, o Bom Senso ataca o calendário em oito pontos. A principal crítica é que o cronograma “espremeu” as datas já existentes em menos tempo.

“A maior parte dos clubes pequenos continua jogando menos de 20 partidas oficiais por ano, ao longo de pouco mais de três meses – o que significa desemprego para cerca de 12 mil jogadores de futebol”, informou o grupo, que também criticou a decisão da CBF de limitar a 65 o número de jogos que um atleta poderá fazer de competições organizadas no Brasil – o que não incluiria a Taça Libertadores, por exemplo.

“É a famosa medida ‘me engana que eu gosto’. De onde veio este número 65, CBF? Quantos atletas disputaram mais que 65 jogos no ano passado?”, questionou o grupo.

O “gol contra”, na visão do Bom Senso, foi a pré-temporada de 25 dias estabelecida de 7 a 31 de janeiro, “pensando no próprio umbigo, uma vez que a audiência do futebol no mês de janeiro tem caído vertiginosamente.”

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo