Após liminar do STF, Raymond Whelan deixa prisão no Rio

Por lyafichmann
Ray Whelan (à esq.) é suspeito de ser o líder do esquema de venda ilegal de ingressos | Stringer/Reuters Ray Whelan (à esq.) é suspeito de ser o líder do esquema de venda ilegal de ingressos | Stringer/Reuters

O diretor-executivo da Match Services, Raymond Whelan, deixou a cadeia, nesta quarta-feira, após conseguir uma liminar do Supremo Tribunal Federal. O inglês estava preso desde o dia 14 de julho no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio.

Whelan é acusado de integrar uma quadrilha internacional de cambistas que vendia de forma ilegal ingressos para a Copa do Mundo. O esquema foi descoberto durante o mundial pela Polícia Civil do Rio, na operação Jules Rimet.

O argelino Lamine Fofana e outras nove pessoas foram denunciadas na mesma investigação e permanecem presas. Agora, Whelan não poderá deixar a capital fluminense até o fim do processo. O advogado dele afirmou que vai pedir o arquivamento das denúncias.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo