Cérebro de Bellini é doado para pesquisas médicas

Por Tercio Braga
Bellini jogou pelo Vasco, São Paulo e Atlético-PR, e com a camisa verde e amarela foi campeão nas Copas de 1958 e 1962 | Arquivo/Folhapress Bellini jogou pelo Vasco, São Paulo e Atlético-PR, e com a camisa verde e amarela foi campeão nas Copas de 1958 e 1962 | Arquivo/Folhapress

O cérebro do bicampeão mundial Bellini, morto na última quinta-feira após sofrer do Mal de Alzheimer durante 18 anos, foi doado para pesquisas com relação a possíveis danos causados por impactos, como cabeçadas, durante a carreira de um esportista. O anúncio foi feito pela mulher de Bellini, Giselda, durante o velório do ex-jogador no Morumbi, estádio do São Paulo.

Leia também
• Pepe relembra ex-zagueiro Bellini e exalta postura do amigo

“O doutor (Ricardo Nitrini, neurologista que cuidava da saúde de Bellini) me perguntou se doaríamos o cérebro do Bellini para um estudo, visto que muitos atletas – de vários esportes – que sofrem impactos no cérebro vêm apresentando algum mal. E é claro que, se é para ajudar nossos netos, bisnetos, e se for realmente constatado que esses impactos provocam danos ao cérebro, nós concordamos em doar (o órgão do ex-zagueiro)”, disse Giselda.

De acordo com a mulher do bicampeão mundial em 1958 e 1962, o cérebro doado já foi retirado antes de o corpo de Bellini ser encaminhado para o Morumbi.

Amigos e familiares se despedem de Bellini

Giselda, mulher de Bellini, fala à imprensa durante o velório do ex-jogador / Marcelo D Giselda, mulher de Bellini, fala à imprensa durante o velório do ex-jogador / Marcelo D’Sants/Frame/Folhapress

No velório realizado no salão nobre do Morumbi, amigos e familiares de Bellini puderam se despedir do primeiro brasileiro a erguer uma taça de campeão do mundo, em 1958. Entre os presentes estiveram o ex-companheiro de time Dino Sani, o senador Eduardo Suplicy, a vice-prefeita de São Paulo Nádia Campeão e o presidente do São Paulo Futebol Clube, Juvenal, Juvêncio, que falou sobre a perda.

“Eu comentava ainda ontem que o Bellini foi um grande atleta, foi um exemplo de dedicação, seriedade, aplicação. Era um competidor que queria sempre vencer e levava isso com muita sobriedade e seriedade. Era uma figura ímpar”, disse Juvenal Juvêncio. “Ele retrata a figura do grande capitão”, completou o dirigente.

Bellini Junior, filho do ex-jogador, falou sobre o velório do pai ser realizado nas dependências do São Paulo. “Meu pai passou parte da vida dele no São Paulo, na fase de construção do Morumbi”, explicou.

Loading...
Revisa el siguiente artículo