Esportivo perde 5 mandos pelo caso Márcio Chagas

Por george.ferreira

O caso de racismo contra o árbitro Márcio Chagas, ofendido por torcedores do Esportivo, não ficou impune.

Em julgamento na noite desta quinta-feira no TJD-RS, o time de Bento Gonçalves foi punido com perda de cinco mando de campos e multa de R$ 30 mil.

A pena começa a valer a partir deste fim de semana.

O relator Paulo Abreu votou pela exclusão do clube do campeonato e multa, seguido pelo auditor Álvaro Paganotto. Mas Paulo Nagelstein e Castro votaram pela perda de mando em cinco jogos.

Auditores do tribunal chegaram a votar pela exclusão da equipe do Campeonato Gaúcho, mas o auditor-presidente Marcelo Castro, com voto com peso dois, acabou por decidir o julgamento, que durou quatro horas, apenas com a perda de mando e o valor da multa.

Entenda o caso

No jogo entre Esportivo e Veranópolis, no dia 5 de março, alguns torcedores do Esportivo ofenderam o árbitro Márcio Chagas com insultos racistas na entrada de campo antes e no meio do jogo.

Quando acabou a partida, o árbitro se dirigiu ao seu carro, que estava amassado com chutes e tinha bananas no teto e no escapamento.

Nesta quinta-feira, o árbitro esteve em um encontro com a presidente Dilma Rousseff e o volante Tinga, alvo de xingamentos racistas no jogo com o Real Garcilaso, no Peru, na Libertadores.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo