‘Portuguesa vai entrar na Justiça comum’, confirma presidente

Por Tercio Braga
Lico se mostra mais entusiasmado com a decisão favorável ao outros times nos anos anteriores e não vê a possibilidade de seu time sofrer sanções por parte da CBF e da FPF | Wagner Meier/ AGIF/ Folhapress Lico se mostra mais entusiasmado com a decisão favorável ao outros times nos anos anteriores e não vê a possibilidade de seu time sofrer sanções por parte da CBF e da FPF | Wagner Meier/ AGIF/ Folhapress

A Portuguesa tomou uma decisão definitiva. Nesta terça-feira, em entrevista exclusiva ao Portal da Band, o presidente do clube, Ilídio Lico, confirmou que entrará com uma ação na Justiça comum para tentar recuperar a sua vaga na disputa do Campeonato Brasileiro da Série A em 2014.

“Não vejo outra alternativa a não ser a Portuguesa entrar na Justiça comum. Eu tenho o apoio de todos os conselheiros e cheguei a essa conclusão. Até quinta-feira entraremos com a ação”, disse Ilídio Lico.

“Acreditamos na Justiça federal, que tem maior representatividade que a desportiva. Não adianta ficar na Série B, com a conta que temos pra pagar”, explicou o presidente.

O mandatário destaca que a diferença financeira entre o que a CBF paga para os clubes da Série A e B é muito grande. “Não tem outra alternativa. Com o que iremos receber disputando a Série B não conseguiremos fazer futebol. Temos problemas demais aqui”.

Lico, no entanto, garante não ter o apoio de Marco Polo Del Nero, presidente da FPF (Federação Paulista de Futebol). “O Marco Polo não aconselha, mas não vejo alternativa”.

Ilídio Lico se mostra mais entusiasmado com a decisão favorável ao outros times nos anos anteriores e não vê a possibilidade de seu time sofrer sanções por parte da CBF e da FPF.

“Anteriormente o Botafogo entrou contra o Gama. O Goiás e o Betim-MG também se beneficiaram e tiveram decisões favoráveis. Não tem porque a Portuguesa ser a única prejudicada nessa história”.

O Betim-MG conseguiu, recentemente na Justiça o seu direito de disputar a Série C do Campeonato Brasileiro. Já o Botafogo se manteve na elite do futebol brasileiro em 2000.

Entenda o caso

No final de 2013, o STJD puniu Portuguesa e Flamengo com a perda de quatro pontos conquistados no Campeonato Brasileiro, por entender que os dois clubes escalaram Héverton e André Santos, respectivamente, de maneira irregular, na última rodada da competição.

Com a decisão do STJD, a Portuguesa foi parar entre os rebaixados à Série B e o Flamengo ficou uma posição acima dos paulistas, se livrando da queda. A punição aos dois clubes, aliás, beneficiou o Fluminense, que subiu duas posições na tabela e se livrou de disputar a segunda divisão.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo