Conmebol notifica Real Garcilaso sobre racismo

Por Tercio Braga
Tinga sofreu com a gestos racistas da torcida do Real Garcilaso | Marcos Fialho/ FolhaPress Tinga foi alvo de ofensas racistas da torcida do Real Garcilaso | Marcos Fialho/ FolhaPress

A Conmebol anunciou em seu site oficial nesta quarta-feira que notificou a diretoria do Real Garcilaso devido a uma possível infração disciplinar. A confederação recebeu denúncia do Cruzeiro sobre manifestação racista feita pelos torcedores do time peruano na derrota por 2 a 1, em Huancayo, na estreia de ambos na Libertadores 2014.

Na ocasião, a torcida local proferiu insultos racistas ao volante Tinga, imitando sons e gestos de macaco a cada vez que o jogador brasileiro tocava na bola.

A equipe peruana tem prazo até às 12h (horário de Assunção, no Paraguai) na próxima segunda-feira, dia 24 de fevereiro, para apresentar sua defesa.

De acordo com a Conmebol, concluído esse trâmite, com a apresentação da defesa, já que as acusações foram feitas pelo Cruzeiro, semana passada, e se o Comitê Disciplinar da entidade entender que não será necessário buscar novas provas, o Tribunal Disciplinar tornará público a sua decisão sobre o caso.

Segundo o regulamento da Libertadores, a equipe peruana poderá até ser eliminada do torneio. O artigo 12, que trata de discriminação e comportamento similares, em seu segundo parágrafo, estipula multa de ao menos US$ 3 mil ao clube ou associação que um membro ou os torcedores realizem qualquer tipo de discriminação, seja por raça, etnia, idioma ou religião.

No último domingo, no clássico com o Atlético-MG, pelo Estadual, torcedores e jogadores atleticanos manifestaram apoio ao jogador cruzeirense.

O presidente do Tribunal Disciplinar da Conmebol é o brasileiro Caio Rocha, que não poderá presidir a sessão por ter um clube do seu país envolvido. Ele será substituído pelo uruguaio Adrián Leiza.

Nota oficial da Conmebol:

A Unidade Disciplinar da Conmebol informou nesta quarta-feira o Real Atlético Garcilaso a abertura de um processo disciplinar pela suspeita da prática de uma infração.

A abertura deste processo se deu depois que foi finalizada a investigação preliminar, pela Unidade Disciplinar depois de uma denúncia do Cruzeiro Esporte Clube, em que o clube brasileiro manifestava que os torcedores do time peruano tiveram uma conduta racista contra o jogador Tinga.

Atualmente, o Real Garcilaso tem um prazo até a próxima segunda-feira, às 12h (de Brasília), para apresentar seus argumentos de defesa. Concluído este processo, o Tribunal Disciplinar da Conmebol emitirá a decisão oficial.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo