Clubes estão divididos sobre greve, diz presidente do Sapesp

Por Caio Cuccino Teixeira
Torcedores invadiram o CT do Corinthians para protestar contra a má fase do time | Reginaldo Castro/Folhapress Invasão ao CT corintiano fez atletas cogitarem greve | Reginaldo Castro/Folhapress

A paralisação dos atletas no Campeonato Paulista será definida até o início da tarde desta sexta-feira. Uma assembleia está agendada para às 10h. Nela, os atletas vão decidir se a greve vai ou não acontecer.

Mas, de acordo com o presidente da Sapesp (Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo), Rinaldo Martorelli, a situação está dividida.

“Tem clube que diz que, se todos pararem, ele para”, afirmou o dirigente ao Metro Jornal. Principalmente no interior, há o medo de represálias por parte das diretorias.

Por isso, há indefinição se a greve, caso ocorra, será total ou parcial.

“Há a questão de interesses. Tem cara falando que no clube dele não aconteceu nada”, disse Martorelli.

O dirigente admitiu que podem, sim, ocorrer sanções. Mas isso não será motivo para que não haja greve: “A gente teme tudo, mas não pode ser motivo de impedir. Pode ter muita retalhação, mas não é por isso que vamos afrouxar.”

A possibilidade de paralisação no estadual ganhou força após a invasão de torcedores do Corinthians ao centro de treinamento no clube, no sábado. O zagueiro Paulo André, capitão alvinegro, está liderando as discussões.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo