"Falta de segurança não é motivo para greve", diz Sheik

Por george.ferreira

Com a orquestração de uma greve no futebol brasileiro, encabeçada por Bom Senso FC e Sindicato dos Atletas Profissionais de Futebol de São Paulo, o atacante Emerson Sheik diz que a falta de segurança não é motivo para a paralização. O jogador foi um dos principais alvos dos torcedores organizados que invadiram o CT do Corinthians no último sábado.

Veja também
Bom Senso pode boicotar rodada do fim de semana, diz goleiro da Ponte

‘Greve de jogadores deve acontecer’, diz presidente de sindicato

“Isso não é motivo de greve, é algo que tem que ser tratado por outro lado”, comentou Emerson, questionado sobre a falta de segurança para os jogadores, na saída de campo da derrota do Corinthians para o Bragantino, na noite de quarta-feira.

No entanto, o atacante diz que não está a par dos motivos da greve proposta pelos atletas e sindicalistas, e ainda precisa formar sua opinião sobre o assunto.

“Primeiro é importante entender o porquê da greve. A partir desse momento, sim, a gente pode parar e opinar. Eu ainda não sei os motivos da greve, mas no meu ponto de vista eu entendo que, sim, pode acontecer. Eu quero entender para tirar minhas próprias conclusões da greve”, acrescentou o jogador.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, os torcedores organizados que invadiram o CT do Corinthians tinham como um dos objetivos quebrar as pernas de Alexandre Pato e Sheik. O atacante, no entanto, preferiu não falar sobre o episódio.

“O que aconteceu, talvez eu fique falando meia hora aqui, ninguém vai conseguir entender. Nós combinamos de não falar, e eu vou permanecer em silêncio, porque foi um acordo que nós atletas fizemos”, afirmou Emerson. “Passaríamos horas e horas tentando explicar o que aconteceu, mas não conseguiríamos explicar.”


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo