Grava sofre arritmia e cai durante invasão de treino do Corinthians

Por Tercio Braga

Durante a invasão dos torcedores do Corinthians ao CT do clube, na manhã deste sábado, o médico que dá nome ao local, Joaquim Grava, se assustou com a movimentação e sua pressão arterial ficou alterada. A frequência cardíaca dele, porém, foi logo normalizada.

“Tenho um problema de stress muito grande, de emoção, e costumo ter arritmia. Na hora me deu essa arritmia, tive de ser medicado. Foi um negócio horroroso”, disse Grava à Bradesco Esportes FM. Por conta do tumulto, o médico também caiu e cortou o cotovelo – ele foi atendido por um colega e agora passa bem.

“Os torcedores vieram em cima de mim, a sorte é que um deles me reconheceu. Mas eles estavam transformados, tentaram me dar uma paulada, eu desviei e bati com o cotovelo em uma bicicleta, dentro da sala de musculação”, contou.

Segundo o médico, a situação poderia ter sido trágica se o treino com os jogadores já tivesse sido iniciado – a invasão ocorreu antes de os atletas irem a campo. “Não tenho dúvida (de que jogadores seriam agredidos). Acho também que muitos ali nem eram torcedores do Corinthians e se envolveram nisso”.

A manifestação dos torcedores se deu por conta dos últimos resultados do Corinthians em campo, como a goleada por 5 a 1 sofrida diante do Santos, no meio de semana.

Sindicato repudia invasão

Em nota oficial, o SAPESP (Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo), repudiou a invasão do grupo de torcedores do Corinthians.

“Isso não pode ser permitido. Os torcedores não podem invadir um local para agredir quem quer que seja. Isso tem que mudar no futebol, porque estamos muito preocupados com a segurança dos jogadores”, disse o presidente do Sindicato, Rinaldo Martorelli, que já entrou contato com a FPF (Federação Paulista de Futebol) para tratar do assunto.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo