Reforma do Autódromo de Brasília seguirá mesmo sem MotoGP

Por Tercio Braga
Área dos boxes do Autódromo de Brasília | Duda Bairros/Vicar/Divulgação Área dos boxes do Autódromo de Brasília | Duda Bairros/Vicar/Divulgação

Com Brasília riscada do calendário do Grande Prêmio Mundial de Motovelocidade para 2014, a FMDF (Federação de Motociclismo do DF) teme por novos atrasos no andamento da reforma do Autódromo Nacional Nelson Piquet. A Secopa (Secretaria de Comunicação para a Copa) informou ao Metro que as obras do circuito não ficarão prontas a tempo para receber a etapa do MotoGP, que estava marcada para 28 de setembro, mas que seguirão mesmo assim. Responsável pelo projeto, a Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital) prevê a conclusão do circuito só em 2015. (Confira o info no fim do texto)

A FMDF conhece de perto a ‘habilidade’ do governo do Distrito Federal em estender prazos. “Estamos lutando por essa reforma há cinco anos”, explica o vice-presidente da entidade, Alan Saraiva. “Com a notícia de que o MotoGP não ocorrerá em 2014, o nosso temor é de que ela não aconteça na velocidade que queremos. Sabemos que um grande evento sempre dá motivação, e agora não teremos essa pressão”, lamenta.

Em nota oficial, a Secopa  informou que o governo firmou o compromisso de realizar a reforma para 2015, uma vez que a mudança “também credencia o espaço a receber outras grandes competições internacionais, o que reforça o compromisso em colocar Brasília na rota dos grandes eventos esportivos”.

Anúncio vazio

Saraiva ainda argumenta que o cancelamento da etapa do MotoGP já era previsível, uma

Com Brasília riscada do calendário do Grande Prêmio Mundial de Motovelocidade para 2014, a FMDF (Federação de Motociclismo do DF) teme por novos atrasos no andamento da reforma do Autódromo Nacional Nelson Piquet. A Secopa (Secretaria de Comunicação para a Copa) informou ao Metro que as obras do circuito não ficarão prontas a tempo para receber a etapa do MotoGP, que estava marcada para 28 de setembro, mas que seguirão mesmo assim. Responsável pelo projeto, a Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital) prevê a conclusão do circuito só em 2015.

A FMDF conhece de perto a ‘habilidade’ do governo do Distrito Federal em estender prazos. “Estamos lutando por essa reforma há cinco anos”, explica o vice-presidente da entidade, Alan Saraiva. “Com a notícia de que o MotoGP não ocorrerá em 2014, o nosso temor é de que ela não aconteça na velocidade que queremos. Sabemos que um grande evento sempre dá motivação, e agora não teremos essa pressão”, lamenta.

Em nota oficial, a Secopa  informou que o governo firmou o compromisso de realizar a reforma para 2015, uma vez que a mudança “também credencia o espaço a receber outras grandes competições internacionais, o que reforça o compromisso em colocar Brasília na rota dos grandes eventos esportivos”.

Anúncio vazio

Saraiva ainda argumenta que o cancelamento da etapa do MotoGP já era previsível, uma vez que o GDF devia ter feito a licitação das obras, por exemplo, em dezembro. A Novacap só apresentou o novo projeto neste mês e o prazo para divulgação do edital é no mês que vem.

O trabalho com o novo circuito será de responsabilidade da diretora de Obras Especiais da Novacap, Maruska Lima, demonstra que dificilmente o autódromo ficaria pronto para receber o MotoGP em setembro.

Com uma total modificação no traçado (veja ao lado), as obras vão modificar uma pista que não era alterada desde 1974, quando o autódromo foi inaugurado. As áreas de boxes, quiosques de alimentação e espaço reservado à imprensa também serão reestruturadas.

Os executivos da Dorna, empresa que detém os direitos de comercialização e divulgação do MotoGP, não se pronunciaram sobre o cancelamento. No site oficial da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), Brasília permanece no calendário.

vez que o GDF devia ter feito a licitação das obras, por exemplo, em dezembro. A Novacap só apresentou o novo projeto neste mês e o prazo para divulgação do edital é no mês que vem.

O trabalho com o novo circuito será de responsabilidade da diretora de Obras Especiais da Novacap, Maruska Lima, demonstra que dificilmente o autódromo ficaria pronto para receber o MotoGP em setembro.

Com uma total modificação no traçado (veja ao lado), as obras vão modificar uma pista que não era alterada desde 1974, quando o autódromo foi inaugurado. As áreas de boxes, quiosques de alimentação e espaço reservado à imprensa também serão reestruturadas.

Os executivos da Dorna, empresa que detém os direitos de comercialização e divulgação do MotoGP, não se pronunciaram sobre o cancelamento. No site oficial da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), Brasília permanece no calendário.

autodromo-de-brasilia620

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo