Propulsores Renault voltam atrapalhar treinos da Red Bull

Por Tercio Braga
Vergne para com o problemas no propulsor Renault | Jon Nazca/Reuters Vergne para com o problemas no propulsor Renault | Jon Nazca/Reuters

Sebastian Vettel foi embora de Jerez de la Frontera sob o pesadelo dos problemas com o novo motor Renault. Só que eles voltaram a assombrar as equipes que utilizam o novo V6 turbo fornecido pela divisão de competição da montadora francesa.

No seu primeiro dia como piloto titular da escuderia Red Bull, o australiano Daniel Ricciardo, o piloto incumbido de testar seu carro, até a próxima sexta-feira, ficou parado até o meio-dia. Quando, enfim, ele foi capaz de sair dos boxes, não pode dar sequer uma volta antes que o motor de seu carro soltasse fumaça. Parou, outra vez, e até entrou de novo na pista, mas não conseguiu engatar mais do que três voltas.

Equipada com o mesmo motor, a Toro Rosso do francês Jean-Éric Vergne, rodou 30 voltas, mas teve um ronco esquisito. Para completar, a Caterham do holandês Robin Frijns, teve de abandonar com um defeito que fazia com que morresse quando reduzia a velocidade para rodar pelos boxes. Até os testes de fevereiro, em Bahrein, os engenheiros franceses quebrarão suas cabeça para resolver tantos defeitos juntos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo