Médicos reduzem sedativos para tirar Schumacher do coma

Por Tercio Braga
Schumacher está internado em coma induzido desde o dia 29 de dezembro em um hospital de Grenoble, na França | Mark Thompson/Getty Images Schumacher está internado em coma induzido desde o dia 29 de dezembro em um hospital de Grenoble, na França | Mark Thompson/Getty Images

Os médicos que atendem o ex-piloto Michael Schumacher começaram a reduzir os sedativos do alemão para que ele possa sair do coma induzido. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pela empresária e assessora do heptacampeão de Fórmula 1, Sabine Kehm.

Veja também
Com problemas, Vettel abandona segundo dia de treinos da F-1

“Os sedativos de Michael estão sendo reduzidos já há uns dias para que possa ser iniciado um processo de despertar, o qual poderia durar um longo tempo”, disse Kehm. A assessora explicou também que, “inicialmente, havia sido decidido que não se daria a notícia sobre o processo até que essa fase de acordá-lo tivesse sido finalizada, para proteger a família”.

Com isso, a empresária justificou o fato de ter negado, ontem, a notícia divulgada pelo jornal francês “L’Equipe” de que Schumacher estaria sendo submetido a um progressivo processo de despertar. Kehm, porém, garantiu que a família e os médicos não fornecerão informações sobre as fases intermediárias dessa etapa.

“A família de Schumacher pede, novamente, para que sua intimidade seja respeitada”, declarou Kehm. O ex-piloto alemão está internado em coma induzido desde o dia 29 de dezembro em um hospital de Grenoble, na França, após ter sofrido um acidente de esqui na estação alpina de Méribel.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo