Esquiadora Lais Souza segue em estado grave nos EUA

Por Caio Cuccino Teixeira
Lais Souza disputava uma vaga no esqui aéreo para os Jogos Olímpicos de Inverno | Reprodução/Facebook Lais Souza disputava uma vaga no esqui aéreo para os Jogos Olímpicos de Inverno | Reprodução/Facebook

A ex-ginasta Lais Souza está em estado grave após ser submetida a cirurgia em Salt Lake City, nos Estados Unidos. A atleta, que atualmente competia no esqui aéreo e aguardava a confirmação da vaga nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi (Rússia), que começa no mês que vem, sofreu uma lesão na coluna na madrugada de terça-feira durante o treinamento e está fora da disputa.

Após um salto, a atleta se machucou e torceu a coluna. A equipe que a acompanhava prestou os primeiros socorros. Ela foi encaminhada ao Hospital da Universidade de Utah, onde passou pela cirurgia.

Companheira de treinamento de Lais, Josi Santos afirmou que a ex-ginasta passa bem após a operação: “Ela saiu da cirurgia, está bem e estamos aguardando as próximas 18 horas para ver como reage. Peço que continuem orando e a cada boletim tentarei dar notícias”, escreveu a atleta em seu perfil no Facebook.

Além do ortopedista Antonio Mattos, médico do COB, Lais será acompanhada pelo americano Barth Green, chefe do departamento de neurocirurgia da Universidade de Miami. Green foi responsável pela cirurgia no ator Christopher Reeve, que interpretou Super-Homem no cinema antes de ficar tetraplégico, em 1995, por causa de uma queda de cavalo.

Na última quarta-feira, Lais Souza conversou com o Metro Jornal. Dos Estados Unidos, a ex-ginasta falou sobre as expectativas para Sochi e, também, sobre o medo do esqui:

Com pouco tempo no esporte, qual é a expectativa de ir para Sochi?
É um sonho. A partir do momento que comecei a praticar o esqui [em julho], treinei para chegar no nível máximo, que é a Olimpíada. Se eu conseguir me classificar, vou aproveitar ao máximo.

Como lidar com o medo?
O esqui aéreo é assustador. Todos os dias a gente passa por essa situação de medo, adrenalina, velocidade… E todos os dias a gente encara. Eu já caí duas vezes de cara na neve, foi só uma ralada no nariz, no olho. Assusta. Mas não a ponto de parar. O risco que a gente passa é bem grande. Mas, sei lá, a gente tem de encarar as coisas, né? Antes de chegar no sucesso, as pessoas tiveram medo. Tem de encarar, pedir a Deus.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo