Jornalista e escritor, Aldyr Schlee fala sobre camisa da seleção brasileira

Por talita
Jornalista e escritor fala sobre camisa da seleção brasileira |Gilberto Perin/Divulgação ‘Tenho sérias objeções com alguns modelos’, diz Schlee|Gilberto Perin/Divulgação

Como foi todo o processo para a escolha da camisa verde-amarelo?

O Brasil vestia branco com detalhes em azul em todos os esportes. Isso não representava a nossa nacionalidade. Quando o Brasil perdeu o Sul-Americano de 1952, houve uma crise na CBD, mas ninguém dizia que o uniforme dava azar. Um jornal do Rio de Janeiro, o “Correio da Manhã”, iniciou uma promoção para que o uniforme fosse mudado e que representasse a nacionalidade brasileira. Os concorrentes foram contra. Os opositores foram convidados para a comissão julgadora, passaram a apoiar a ideia e a CBD a adotou, abrindo o concurso. Era um concurso artístico de desenho, em qualquer técnica colorida, que representasse o jogador com o uniforme completo, com as quatro cores da bandeira.

O senhor imaginava que seria escolhido?

Eu não admitia quatro cores na camisa de um time, ainda não existia o Veranópolis (que tem cinco cores em sua camisa) e não se tinha contato com as seleções africanas. Repudiei a ideia, mas percebi que era possível esconder duas cores, o azul e o branco, no calção e na meia. O calção e as meias não entram na representação das cores de um time. Tive a felicidade de fazer um bom arranjo. Depois de cento e tantos esboços, cheguei no modelo final. Caprichei muito no desenho. Mandei um desenho muito bom. Fiz uma coisa para ganhar. Depois, infelizmente, meu desenho foi jogado fora.

Quando ficou sabendo que tinha sido o escolhido?

Em 15 de dezembro de 1953, fui pegar o “Correio
da Manhã” na companhia aérea que trazia o jornal para Pelotas, vi a reprodução do meu desenho, mas o jornal ainda não sabia quem tinha desenhado. Usei o pseudônimo Alsch, de Aldyr Schlee.

E a festa de lançamento?

Fiquei sabendo disso há pouco. Causou-me um desgosto muito grande. Tive sempre a ilusão que tinha visto o uniforme na primeira vez que a Seleção o utilizou. Não fui avisado sobre o evento.

O que tem achado dos últimos modelos da camisa?

Tenho sérias objeções. Aquelas asas laterais verdes ao lado da barriga (2002), o tablete verde no peito (2011), aquela bola de sinuca no meio da barriga (2004). Sempre fui contra isso. Detestei a última que estão ameaçando usar na Copa do Mundo. Acredito que não vão usar. Ela não é aceitável. Se adotou uma gola verde, que corresponde a um pijama.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo