Dirigente confirma proposta da CBF para Lusa disputar a Série B

Por Tercio Braga
Portuguesa não deve aceitar as condições propostas pela CBF, diz o presidente Ilídio Lico | Wagner Meier/ AGIF/ Folhapress Portuguesa não deve aceitar as condições propostas pela CBF, diz o presidente Ilídio Lico | Wagner Meier/ AGIF/ Folhapress

O presidente da Portuguesa, Ilídio Lico, confirmou ter recebido uma proposta de R$ 4 milhões da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para que o clube aceite a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e dispute a segunda divisão do Campeonato Brasileiro de 2014.

O mandatário, que assumiu o cargo deixado por Manuel da Lupa no último dia 2, conversou sobre o caso com a jornalista Marcela Gomes, do Bandsports, nesta segunda-feira (20).

Com este valor, a Lusa conseguiria chegar perto dos R$ 20 milhões referentes às cotas da Série A. Isso porque o clube teria direito a 75% desta cifra na segunda divisão e, com a soma dos R$ 4 milhões, atingiria a casa dos R$ 19 milhões.

Contudo, a Portuguesa não deve aceitar as condições propostas pela CBF e continuará na briga para permanecer na elite do futebol brasileiro.

Toda a polêmica começou na última rodada do último Brasileirão, quando o meia Héverton foi escalado pela Lusa de maneira tida como irregular no empate diante do Grêmio, no Canindé.

O resultado foi a decisão do STJD em retirar quatro pontos do clube paulista na competição, o que rebaixou a Lusa e beneficiou o Fluminense, que saiu da zona da degola.

No entanto, torcedores incoformados com o ocorrido foram à Justiça Comum e obtiveram uma liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo para suspender a determinação inicial do STJD.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo