Apresentação do primeiro uniforme verde-amarelo da seleção está perdida na história

Por talita
‘Correio da Manhã’ reproduziu desenho vencedor de Schlee | Repordução ‘Correio da Manhã’ reproduziu desenho vencedor de Schlee | Repordução

Em tempos de internet e mensagens instantâneas, um evento deste porte teria suas imagens espalhadas pelo mundo tão rápido quanto um piscar de olhos. Há 60 anos não era assim e um marco da história do futebol brasileiro ficou esquecido entre as inúmeras conquistas da Seleção.

Em 20 de janeiro de 1954, antes de um Flamengo x Botafogo, no Maracanã, a camisa canarinho, símbolo do Brasil no mundo, foi oficialmente lançada. Antes de o jogo começar, os times se perfilaram e entre eles passaram jogadores como Nilton Santos, Ademir, Djalma Santos, e Didi vestindo o novo uniforme.

Apesar da grandiosidade do evento, que contou com um helicóptero pousando no gramado, uma peça importante foi esquecida. “Fiquei desapontado quando soube que esse evento ocorreu. Não fui convidado”, relata o jornalista e escritor gaúcho Aldyr Schlee, homem que desenhou o modelo da camisa verde-amarelo, vencedor do concurso patrocinado pelo jornal “Correio da Manhã” e pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos) para escolher o novo uniforme.

Até então, o Brasil vestia  branco com detalhes em azul. Após fiasco no Sul-Americano de 52, o periódico lançou um concurso para escolher um novo uniforme utilizando as cores da bandeira. A ideia foi comprada pela CBD. “No Brasil ninguém pesquisa a fundo, principalmente no futebol. Foi um grande acontecimento para a época”, conta o historiador José Francisco Alves.

A estreia do uniforme ocorreu contra o Chile, em 28 de fevereiro de 1954. Se a festa ficou escondida no passado, se o autor foi esquecido de ser convidado, o que não se esquece são os títulos da Seleção e a camisa canarinho. “Hoje a camisa é um símbolo de nossa nacionalidade”, comemora Schlee.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo