Fifa e COL fazem última vistoria no Maracanã antes da Copa

Por Tercio Braga
Comitiva entra no gramado do Maracanã | Tânia Rêgo/ABr Comitiva entra no gramado do Maracanã | Tânia Rêgo/ABr

Representantes do Comitê Organizador Local (COL) e da Federação Internacional de Futebol (Fifa) fizeram nesta quinta-feira a última visita conjunta ao Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, antes da Copa do Mundo. Cerca de 70 pessoas vistoriaram 19 áreas do estádio e discutiram melhorias operacionais e adaptações logísticas a partir da experiência com a Copa das Confederações, considerada um evento teste.

“Não há o que mudar, e sim o que melhorar ou aumentar. O objetivo é analisar as estruturas da Copa das Confederações, que funcionarão de forma diferente ou maior na Copa do Mundo”, disse Tiago Paz, gerente-geral de integração operacional do COL. Apesar de ser a última visita conjunta, o estádio deve continuar a ser vistoriado pelos órgãos envolvidos na copa separadamente, tornando as visitas praticamente diárias, explicou Tiago Paz.

O mesmo tipo de vistoria será feita aos outros cinco estádios usados na competição do ano passado. O primeiro será a Arena Castelão, de Fortaleza, nesta sexta, seguido pela Arena Pernambuco, em Recife, no dia 18, e a Arena Fonte Nova, em Salvador, no dia 20. O Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, será vistoriado no dia 21, e o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha encerrará o ciclo de visitas no dia 22. Os outros seis estádios que sediarão jogos da Copa – de São Paulo, Manaus, Belém, Curitiba, Porto Alegre e Natal – serão visitados em março.

Uma das principais preocupações em termos de adaptação é a Vila de Hospitalidade, que vai atender aos convidados de patrocinadores, antes e depois dos jogos, com serviços como banheiro e alimentação. No caso do Maracanã, o equipamento ficará na Avenida Visconde de Niterói, do outro lado da linha do trem, e será construída com estruturas provisórias em frente à Quinta da Boa Vista, em área cedida pelo Exército.

Outras adaptações dizem respeito à recepção de autoridades e acomodação da imprensa, que virão em maior número que na Copa das Confederações. Para os jornalistas, haverá ampliação do centro de mídia em 300 lugares . Além disso, a tribuna da imprensa, usada durante os jogos, terá 2,1 mil lugares, em vez dos 1,6 mil que tinha na competição anterior.

O Comitê Organizador Local e a Fifa assumirão o controle do estádio 21 dias antes do jogo Argentina e Bósnia, em 15 de junho, o primeiro sediado no Maracanã. Até lá, ele continua a receber jogos locais, como os do campeonato carioca, que começa ainda neste mês. Durante o período, a Fifa e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) “discutirão continuamente” a quantidade de jogos que o estádio vai receber por mês, mas a decisão caberá ao órgão brasileiro, segundo Chris Unger, chefe do departamento de operações da Fifa para a Copa do Mundo de 2014.

Estruturas que deveriam ser demolidas, mas foram mantidas após manifestações populares, como o Parque Aquático Júlio Delamare e o Estádio de Atletismo Célio de Barros, também serão usadas durante a competição. O parque será usado como local de preparação de dançarinos e voluntários na final, e o segundo centro esportivo abrigará equipamentos e material da área de segurança.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo