Saída do Corinthians ainda mexe com Jorge Henrique

Por Tercio Braga
Jorge Henrique reconhece erro que causou sua saída do Corinthians | Lintao Zhang/Getty Images Jorge Henrique reconhece erro que causou sua saída do Corinthians | Lintao Zhang/Getty Images

Jorge Henrique hoje é jogador do Internacional, mas ainda possui bastante identificação com o torcedor do Corinthians, por conta da sua passagem vitoriosa pelo clube paulista. Até por isso, o episódio da sua saída do Timão no ano passado, após um ato de indisciplina, ainda mexe com o atacante.

“(Minha vida extracampo) atrapalhou uma vez só, e essa vez foi fundamental. É algo que eu não quero repetir”, disse Jorge Henrique, ao ser questionado sobre o tema em entrevista à Bradesco Esportes FM. “Não vou dizer que não foi minha culpa, se não tivesse feito nada disso teria ocorrido, mas são coisas que acontecem”, completou.

De acordo com o atacante, ele poderia até ficar no Corinthians após ser afastado pelo técnico Tite, caso sua punição não fosse tão longa. “Fiquei treinando afastado durante uma semana, apareceram algumas propostas e estava indefinido meu afastamento. Para não ficar muito tempo parado eu conversei com o Edu (Gaspar, gerente de futebol) e pedi para sair, para jogar”.

“Foi uma decisão da diretoria (minha saída). O afastamento não partiu só de um, partiu só de todos, mas eu respeito, até porque eu errei. Só que eu esperava que seria pouco tempo, até porque aconteceram vários outros episódios ali de pessoas que faltaram aos treinos e nada aconteceu”, declarou Jorge Henrique.

Apesar do que aconteceu, ele nega ter mágoas do clube paulista. “Sou amigo de todos, do Edu, do Duílio (Monteiro Alves, diretor de futebol), até tive a oportunidade de jogar com o Edu. Sei que errei e tinha que esperar. Infelizmente passou muito tempo e, para não ficar parado, eu optei por sair”.

Defesa de Romarinho

Além de falar sobre sua saída do Corinthians, Jorge Henrique também se disse chateado por uma cobrança que viu sendo feita contra o também atacante Romarinho, durante a má fase do time paulista no Brasileirão do ano passado, na porta do CT do clube.

“Foi inaceitável. Ele deu alegria a todos naquele gol contra o Boca (pela ida da final da Libertadores). O garoto não pode sair, não pode curtir? Ele pode ter sua vida e dentro de campo tem que fazer seu trabalho. E ele tem feito um trabalho excelente, é um menino de bem. Fiquei muito chateado quando montaram aquela mesa de bar em frente ao CT”, declarou Jorge Henrique.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo