CBF ignora imbróglio e mantém calendário do Brasileirão

Por BAND
Para o Bom Senso, a CBF de Marin é quem deveria decidir sobre a polêmica entre Lusa e Flu, no Brasileirão | Rafael Ribeiro/CBF CBF tem que divulgar o calendário da competição até dois meses antes do início do torneio | Rafael Ribeiro/CBF

O diretor de competições da CBF, Virgílio Elísio, preferiu não se alongar ao comentar a polêmica em torno do Brasileirão 2014. Mas garantiu que o calendário está mantido e que, no prazo máximo de 60 dias antes do início da competição, a entidade vai publicar a tabela, conforme determina o Estatuto do Torcedor.

“A CBF trabalha com a regra, como sempre trabalhamos, com respeito aos 60 dias publicaremos as tabelas das séries A, B, C e D, como sempre fizemos. Desde que o Estatuto do Torcedor existe cumprimos rigorosamente”, disse Elísio ao repórter Wellington Campos, da Bradesco Esportes FM Rio, após o sorteio dos confrontos da Copa do Brasil.

O Brasileirão está marcado para começar no dia 19 de abril. Portanto, a CBF tem que divulgar a tabela até dois meses antes do início da competição, em meados de fevereiro. Mas especula-se que, diante da possível “guerra” de liminares na Justiça comum, por conta da punição à Portuguesa, a entidade faça um campeonato com 24 clubes. Assim, os quatro rebaixados, pelo menos atualmente – Portuguesa (punida pelo STJD com a perda de quatro pontos), Vasco, Ponte Preta e Náutico – seriam salvos.

Se até fevereiro, quando a CBF tem que divulgar as tabelas, o problema não estiver superado, a CBF pode ser atirada em uma crise semelhante à de 1999, quando, por conta de ações na Justiça comum do Gama, ficou impedida de organizar o Brasileiro. Nas mãos do Clubes dos 13, o campeonato foi inchado: não houve rebaixamento e grandes que estavam na Série B foram convidados – entre eles o Fluminense.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo