Lusa acusa CBF como "coautora" de erro que causou rebaixamento

Por BAND
O presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa, durante o julgamento | Erbs Jr/ Frame/ Folhapress O presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa, durante o julgamento | Erbs Jr/ Frame/ Folhapress

A Portuguesa já se arma para o julgamento do recurso do caso Héverton, no próximo dia 27, e tem uma carta na manga para tentar convencer o Pleno do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) a seguir na Série A em 2014. De acordo com o jornal “Lance!”, a estratégia do clube paulista é indicar a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) como coautora do erro que fez a equipe perder quatro pontos no Brasileirão desse ano.

Segundo a publicação, a estratégia da Lusa é se valer da falta de informação da condenação de dois jogos de Héverton no sistema da CBF que lista jogadores suspensos por cartões amarelo e vermelho, além de decisões do STJD. O “Lance!” destaca que o chamado “BID da Suspensão”, como é conhecido por advogados e dirigentes de clubes, foi implementado pela CBF em 1° de setembro e só os clubes têm direito de entrar no sistema, acessado com login e senha.

Cópias de documentos incluídos à peça jurídica da Portuguesa no recurso do Pleno do STJD, aos quais o “Lance!” teve acesso, citam a comunicação da CBF às federações estaduais sobre a novidade do “BID da Suspensão”; a página do sistema no dia 6, dois dias antes do jogo contra o Grêmio, onde consta o nome de Héverton com o status “cumpriu”, com a descrição do jogo contra a Ponte; e a página do sistema no dia 10, dois dias depois da última rodada do Brasileirão, que mantém o status “cumpriu” à punição.

Ao “Lance!”, um dos advogados da Portuguesa, Felipe Ezabella, explicou o porquê desses documentos não terem sido levados em consideração no julgamento que rebaixou a Portuguesa à Série B e recolocou o Fluminense na elite em 2014. “Os auditores foram ao julgamento com seus votos prontos. Esse documento oficial da CBF, que é liberado por meio desse novo sistema, deu condições de jogo ao Héverton. Tanto que um funcionário da Portuguesa fez a consulta antes e depois do jogo”, declarou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo