Atlético-MG estreia no Mundial de Clubes contra o Raja Casablanca

Por Carolina Santos

Foram mais do que intensos os 146 dias entre a histórica madrugada de 25 de junho, quando o Galo levantou a taça da Libertadores, no Mineirão, e às 17h30 de hoje, o momento no qual, finalmente, a equipe entrará no gramado do Grand Stade, em Marrakesh, para disputar o jogo mais importante de seus 105 anos.

Neste período agitado, teve a contusão muscular – e o agoniante tratamento – de Ronaldinho Gaúcho, o suspense para saber se Fernandinho poderia jogar a Copa do Mundo de Clubes da Fifa, o acerto da equipe durante os jogos do Campeonato Brasileiro…

A exemplo do que fez o Corinthians – que se deu bem no ano passado contra os egípcios do Al Ahli e os ingleses do Chelsea –, o Galo usou a reta final do nacional para chegar tinindo no Marrocos. O técnico Cuca poupou jogadores mais cansados, controlou de perto o momento certo para colocar o Ronaldinho em campo e tratou de manter o ritmo do time em alta.

“Nosso time se preparou, com todo mundo se dedicando muito e com a comissão técnica nos passando todas as informações sobre nossos adversários”, disse Jô.

Para complementar este pacote de informações, os jogos dos adversários do Atlético-MG, em Agadir, foram acompanhados de perto. A ordem é ter pernas, cabeça e coração para marcar muito e ter habilidade para fazer os gols que a torcida está esperando: a final e o título.

“A Copa do Mundo de Clubes é um campeonato de tiro curto e temos de estar embalados para entrarmos com confiança”, declarou o goleiro Victor, uma das esperanças do maior sonho da massa atleticana.

E o primeiro passo é passar pelo Raja Casablanca, que joga a semifinal diante do Galo em casa, e já eliminou, de forma supreendente, o Auckland City (Nova Zelândia) e o Monterrey (México).

Mas nem de longe o time marroquino tem a mesma técnica do Galo. A maior arma é a empolgação por jogar diante da sua torcida. Apesar de ter um ataque de bastante velocidade, embora pouco talentoso, o Raja sofre muito na defesa, bastante frágil.

 

atlético-mineiro-galo-mundial-arte-bonecos

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo