Operador de guindaste do Itaquerão trabalhava há 18 dias sem folga

Por Tercio Braga
Queda de peça içada pelo guindaste matou duas pessoas | Daniel Vasques/Folhapress Queda de peça içada pelo guindaste matou duas pessoas | Daniel Vasques/Folhapress

O condutor do guindaste que caiu no Estádio do Corinthians, em Itaquera, na zona leste de São Paulo, trabalhou 18 dias sem folga antes do acidente. A informação foi confirmada, nesta terça-feira, pelo superintendente regional do Ministério do Trabalho.

Veja também
Fifa pede segurança reforçada na Copa após briga em Santa Catarina
Vidente crava hexa do Brasil na Copa em final contra a Argentina

Nesta terça-feira, uma equipe do Ministério foi a Arena para vistoriar oito guindastes interditados após o acidente que matou dois operários. Após a visita, o superintendente Luis Antônio Medeiros afirmou que todos os operários fazem duas horas extras por dia na obra, mas que é preciso limitar o horário quando houver perigo.

Segundo ele, o operador do guindaste estava há 18 dias sem descanso, o que pode representar uma exaustão para quem opera um mecanismo delicado. Apesar disso, Medeiros fez questão de ressaltar que as causas do acidente ainda estão sendo analisadas.

O Ministério do Trabalho pretende testar e liberar todas as gruas até o dia 16. Antes de retomar os trabalhos, o plano de retirada do guindaste e da última peça da estrutura metálica que cobriria o estádio tem de ser aprovado. Após ser retirado, o guindaste vai ficar à disposição para análise.

o-acidente-arte-itaquerao
arte-itaquerao-2-620

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo