Fifa pede segurança reforçada na Copa após briga em Joinville

Por Tercio Braga
Em um estádio pouco ocupado, vascaínos e atleticanos entraram em conflito, em Joinville | Geraldo Bubniak/ Fotoarena/ Folhapress Em um estádio pouco ocupado, vascaínos e atleticanos entraram em conflito, em Joinville | Geraldo Bubniak/ Fotoarena/ Folhapress

A Fifa demonstrou preocupação com a briga entre torcedores de Vasco e Atlético Paranaense, no último domingo. O secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, disse que ficou impressionado com os atos violentos e pediu segurança reforçada na Copa do Mundo, para ter certeza de que cenas como essa não aconteçam durante o torneio.

Veja também
Operador de guindaste do Itaquerão trabalhava há 18 dias sem folga
Vidente crava hexa do Brasil na Copa em final contra a Argentina
Vascaíno preso com barra de ferro é músico em banda gospel

Em uma entrevista coletiva, no Marrocos, onde acontece o Mundial de Clubes, Valcke ainda comentou que arquibancada de estádio não é um lugar para guerra.

MP pede suspensão de torcida do Atlético-PR

A torcida uniformizada Os Fanáticos, do Atlético Paranaense, não vai poder frequentar os jogos pelos próximos seis meses. A determinação do Ministério Público do Paraná foi anunciada, nesta terça-feira, como resultado da briga generalizada na Arena Joiville, no domingo.

De acordo com o veto, uniformes, faixas e bandeiras da torcida atleticana estão proibidas nos estádios. Qualquer menção da uniformizada durante os jogos será punida com multa de R$ 20 mil.

A decisão, no entanto, não vai impedir que os torcedores frequentem os estádios, já que ainda não há um cadastro para identificar todos os que se envolvem em brigas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo