Power vence prova marcada por batida forte; Dixon lidera a tabela

Por Tercio Braga
Power venceu a segunda prova em Huston, com Dixon em segundo | Brian Cleary/Getty Images Power venceu a segunda prova em Huston, com Dixon em segundo | Brian Cleary/Getty Images

A 18ª etapa da temporada da Fórmula Indy, disputada neste domingo (6), em Houston (EUA) foi vencida por Will Power. Scott Dixon ficou em segundo lugar, seguido por James Hinchcliffe em terceiro, e assumiu a ponta da tabela. Agora, a decisão do campeonato será na etapa de Fontana (EUA), marcada para o dia 19 de outubro. O momento marcante da corrida foi incrível acidente na última volta.

Helio Castroneves, que liderava o campeonato e largou da pole-position, enfrentou problemas no câmbio de seu Penske e depois de ficar várias voltas parado, terminou a corrida na 23ª posição. Tony Kanaan, que largou em 11º, Bateu no muro, abandonou a prova e ficou com a 24ª posição.

Logo na largada, o pole-position Helio Castroneves conseguiu segurar a ponta, seguido por Scott Dixon em segundo e Simon Pagenaud em terceiro. Mais atrás, Tony Kanaan, que largou em 11º, conseguiu sair bem e pulou para a nona posição.

VÍDEO: As voltas finais e o acidente entre Franchitti, Viso e Sato na última volta

Ainda na primeira volta, Tristan Vautier e Graham Rahal foram empurrados por Simona De Silvestro e foram parar na barreira de pneus. Vautier conseguiu voltar para a pista, mas Rahal ficou preso, o que causou a primeira bandeira amarela da prova.

Na relargada, dada na sétima volta, Helinho acelera forte e mantém a liderança com Dixon colado em seu Penske. Pouco depois, Will Power partiu para o ataque e tomou a terceira posição de Pagenaud. Tony Kanaan continuava ganhando posições e subia para oitavo.

Na 10ª volta Helinho, mais uma vez, sofreu problemas no câmbio de seu carro e parou na pista, causando a segunda bandeira amarela da corrida. Na prova de sábado (5), Castroneves também teve problemas no câmbio de seu Penske e terminou a prova na 18ª posição.

A exemplo do que aconteceu na primeira corrida da rodada dupla de Houston, os mecânicos conseguiram arrumar seu carro e devolvê-lo para a pista na 46ª volta. O problema com o piloto de Ribeirão Preto (SP) deu de presente a liderança para Scott Dixon, que segurou a ponta após a relargada, dada na 17ª volta.

Mais atrás, quem fazia uma boa corrida era Tony Kanaan, que seguia ultrapassando adversários e na 20ª volta já era sétimo colocado.

Na 29ª volta, Luca Filippi escapou em uma curva, ficou preso na barreira de pneus e causou a terceira bandeira amarela. Enquanto isso, Dixon e Power pararam juntos no pit e na saída protagonizaram uma disputa por posição, mas Dixon conseguiu sair mais forte e ficar na frente do piloto da Penske.

Pouco antes da relargada, que foi autorizada na 33ª volta quem enfrentou problemas de câmbio foi o atual campeão da categoria, Ryan Hunter-Reay, que começou a perder rendimento e teve de parar nos pits. Após alguns reparos Hunter-Reay voltou à pista.

Um pouco mais tarde, Tony Kanaan, que fazia boa corrida e ocupava a 11ª posição, escapou da pista, bateu no muro, abandonou sua penúltima corrida pela KV Racing e provocou a quarta bandeira amarela. Kanaan deixará a equipe de Jimmy Vasser e correrá pela Ganassi, a partir da temporada 2014.

Logo após a relargada, dada na 40ª volta, Will Power partiu para o ataque e conseguiu tomar a ponta de Scott Dixon, que passou da condição de perseguido a perseguidor. A essa altura, quem fazia uma ótima corrida era Sebastian Saavedra, que largou em 24º e ocupava a terceira posição.

Um pouco mais atrás, Ernesto Viso, que na segunda corrida de Houston fez sua 100ª largada na Indy, também fazia uma boa prova e depois de largar em 12º, a 40 voltas para o final ocupava a sexta posição.

Na 59ª volta James Hinchcliffe, que na prova de sábado nem largou, pois deixou seu carro apagar e foi atingido por Ed Carpenter, ocupava a terceira posição, nove segundos atrás do líder Will Power.

Três voltas mais tarde, Power e Dixon fizeram suas paradas ao mesmo tempo e de novo o que se viu foi uma briga por posições entre o australiano da Penske e o neozelandês da Ganassi. Quem se deu melhor foi Power, que conseguiu sair na frente e manter a liderança.

Pouco depois, quando faltavam 28 voltas para o final, a bandeira amarela voltou a tremular, desta vez por causa de uma escapada de Ed Carpenter, que após ter seu carro religado voltou para a prova.

Logo após a relargada, dada a 23 voltas do final, pedaços do carro de Josef Newgarden que caíram na pista causaram a sétima bandeira amarela da corrida. Três voltas mais tarde a relargada foi autorizada e Power disparou na frente, seguido de perto por Dixon.

A essa altura, Helio Castroneves já conseguia descontar as voltas que estava atrás de Tony Kanaan e passava da 24ª para 23ª posição. Pouco depois, quando faltavam 17 voltas para o fim da corrida, Marco Andretti foi tocado por Josef Newgarden, rodou na pista e causou a oitava bandeira amarela.

Faltando 13 voltas para o final a relargada foi autorizada e Power disparou na ponta com Dixon colado em segundo e Hinchcliffe em terceiro. O que se viu a partir daí foi um ataque implacável de Dixon sobre Power.

Na última volta um forte acidente assustou os espectadores no circuito de Houston. Dario Franchitti escapou de traseira, foi atingido pelos carros de Ernesto Viso e Takuma Sato e bateu contra a grade de segurança do circuito. O piloto da Ganassi foi rapidamente socorrido pela equipe de resgate do circuito de Houston e encaminhado para o hospital.

As investidas de Dixon não deram resultado e Power acabou levando a vitória, seguido por James Hinchcliffe em terceiro. Justin Wilson, segundo colocado na corrida de sábado ficou em quarto e Sebastien Bourdais fecharam o top-5.

Loading...
Revisa el siguiente artículo