Idosa nada 170 km por lição de vida

Por talita
|Andy Newman/Reuters Com 64 anos, Diana é a primeira a completar a façanha|Andy Newman/Reuters

Uma senhora de 64 anos foi a primeira pessoa a nadar uma distância de quase 170 quilômetros entre Cuba e o estado americano da Flórida, relata o colunista da BandNews FM Luiz Megale. “Foi uma façanha não só para a idade dela, mas para a humanidade de um modo geral”, analisa Megale.

“Imagine essa travessia em mar aberto, com ondas, águas vivas, tubarões e todo o cansaço físico”, observa o colunista. O trajeto foi realizado em mais de 50 horas.

Autora do feito, Diana Nyad chegou ontem à praia de Key West e foi recebida por centenas de pessoas. Ela já era conhecida por ser uma nadadora de longa distância. Diana foi a primeira pessoa que, na década de 1970, conseguiu nadar ao redor da ilha de Manhattan, em Nova York.

Essa foi a quinta tentativa da nadadora de fazer a travessia. A primeira foi em 1978, quando ela tinha 29 anos. “Na época, ela conseguiu nadar metade do caminho, teve de ser socorrida com um quadro de alucinações e foi internada. Nas outras três tentativas, Diana teve de desistir por ataques de água viva, cansaço extremo e até uma crise de asma com uma hora de duração”, lembra Megale.

A idosa também foi a primeira a nadar no oceano sem uma jaula de proteção. Com a gaiola, a façanha já tinha sido realizada por outra mulher, uma australiana de 22 na década de 1970.

“Diana Nyad chegou acaba, porém, feliz na praia ontem à tarde. Ela, em certo momento, vomitava muito por causa da água com sal ingerida, sofreu com picadas de água viva – por mais que tivesse usado substâncias no rosto e nos dedos para evitar os ataques -, estava cansada, inchada, mas felicíssima”, conta Megale. Ela disse que a mensagem que tinha que entregar ao mundo, apesar de mal conseguir falar, é que a pessoa jamais deveria desistir dos seus sonhos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo