Bayern vence o Chelsea nos pênaltis e leva a Supercopa da Europa

Por Carolina Santos
Jogadores do Bayern comemoram título | Franck Ribery/gettyimages Jogadores do Bayern comemoram título | Franck Ribery/Gettyimages

O futebol agradece. Em uma decisão de tirar o fôlego, o Bayern de Munique é o campeão da Supercopa da Europa ao vencer o Chelsea nas disputa de pênaltis por 5 a 4, após empate de 2 a 2 no tempo regulamentar e na prorrogação.

Javi Martínez, com o gol que evitou a derrota no último lance do jogo, e Neuer, que defendeu a cobrança de Lukaku, foram os heróis do título. Ribéry, com boa atuação, fez o outro gol do Bayern, enquanto Fernando Torres e Hazard marcaram para os Blues.

Além do primeiro título pelo clube bávaro, Guardiola aumentou a vantagem sobre o rival Mourinho em finais diretas. Agora, o espanhol tem oito conquistas contra três do português.

 

O Jogo

 

As duas equipes começaram o jogo partido para cima. Com esquema praticamente parecidos (alemães no 4-1-4-1, enquanto ingleses apostaram no mais tradicional 4-2-3-1), os focos de Bayern e Chelsea destoavam um pouco. Enquanto os bávaros seguiam a cartilha de Guardiola de posse de bola e longas trocas de passes, os Blues apostavam nos contra-ataques rápidos.

E foi em um deles, logo aos oito minutos, que os comandados de José Mourinho abriram o placar. Após ótima jogada de Hazard, Schürrle recebeu na direita e cruzou na medida para Fernando Torres, que de primeira, marcou um bonito gol. A desvantagem não mudou a proposta do Bayern. Equilibrados, os alemães seguiram criando boas jogadas. As melhores chances surgiram com Ribéry. Cech evitou o empate.

Dois pontos se destacaram no primeiro tempo: a filosofia de Guardiola ainda não foi totalmente absorvida pelo atual campeão alemão, principalmente no sistema defensivo. No lado do Chelsea, Fernando Torres voltou a exibir um grande futebol, talvez movido pela chegada do camaronês Samuel Eto’o. Além disso, o alemão Schürrle tem tudo para ser um dos principais jogadores no esquema de Mourinho na temporada.

Na volta para a etapa final, as duas equipes seguiram com a mesma filosofia de jogo. E Ribéry, de tanto insistir, empatou o duelo. Após erro de contra-ataque do Chelsea, Toni Kross tocou para o francês, que se desmarcou de Ramires e soltou uma bomba no canto direito de Cech. Na comemoração, o camisa 7 abraçou muito o técnico Guardiola.

A igualdade no placar trouxe a evidente pressão bávara. Com boa marcação, os alemães não permitiram mais os contra-ataques adversários como no primeiro tempo. Além disso, Ribéry, Robben e Mandzukic seguiam dando trabalho para o goleiro Cech. Contudo, um erro de Dante quase colocou tudo a perder. Após escorregar em uma saída de bola, Schürrle rolou para Oscar, que sozinho, chutou em cima de Neuer.

Após o lance, o Chelsea quebrou o domínio do Bayern e voltou a assustar e a equilibrar as ações. Guardiola, então, resolveu renovar o fôlego bávaro com Götze no lugar do apagado Müller. Contudo, novamente os Blues chegaram próximo do segundo gol com Ivanovic, que cabeceou no travessão do goleiro Neuer. Depois foi a vez de David Luiz fazer o camisa 1 alemão salvar mais uma vez.

Devido ao equilibrio no campo e no placar, a final acabou indo para a prorrogação. Logo no começo, David Luiz deu um ótimo lançamento para Hazard. O belga fez bela jogada individual pela esquerda, saiu de dois marcadores, e chutou. Neuer falhou e os ingleses, mesmo com um a menos, voltaram a ficar novamente na frente.

Em desvantagem, o Bayern voltou a pressionar o adversário. E no restante do primeiro tempo da prorrogação, o que se viu foi ataque contra defesa. Se superando, os Blues conseguiram se livrar do perigo como podiam. Na última parte, a blitz alemã seguiu implacável. Cech com duas defesas sensacionais e Cahill evitaram o segundo gol adversário. Precavido, Mourinho colocou Terry para segurar o resultado.

Mesmo com uma atuação memorável da defesa do Chelsea, o Bayern, de tanto esbarrar em Cech, que ainda tinha defendido uma falta de Ribéry, acabou empatando no último lance com Javi Martínez, aproveitando cruzamento de Alaba. Sobrou os pênaltis para decidir quem iria levantar o primeiro troféu continental da temporada.

Na decisão, brilhou a estrela de Neuer. Após cobranças perfeitas de Alaba, Kross, Lahm, Ribéry e Shaquiri (pelo Bayern), e David Luiz, Oscar, Lampard e Cole (para o Chelsea), o goleiro alemão defendeu a quinta cobrança, efetuada por Lukaku, e garantiu a festa bávara.

 

FICHA TÉCNICA:

 

BAYERN DE MUNIQUE 2 (5) x (4) 2 CHELSEA

 

Local: Estádio Éden, em Praga (RTC)
Data-Hora: 30/8/2013 – 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Jonas Eriksson (SUE)
Auxiliares: Mathias Klasenius (SUE) e Daniel Wärnmark (SUE)
Cartões amarelos: Ribéry e Boateng (BAY); Cahill, David Luiz, Fernando Torres, Lukaku, Cole, Ivanovic e Ramires (CHE)
Cartões vermelhos: Ramires 39’/2ºT (CHE)
Gols: Fernando Torres 8’/1ºT (0-1), Ribéry 2’/2ºT (1-1), Hazard 3’/1ºP (1-2) e Javi Martínez 20’/2ºP (2-2)

 

BAYERN DE MUNIQUE: Neuer, Rafinha (Javi Martínez – 11’/2ºT), Dante, Boateng e Alaba; Lahm, Robben (Shaquiri – 6’/1ºP), Müller (Götze – 27’/2ºT), Toni Kross e Ribéry; Mandzukic. Técnico: Pep Guardiola

 

CHELSEA: Cech, Ivanovic, David Luiz, Cahill e Cole; Lampard, Ramires, Schürrle (Mikel – 40’/2ºT), Oscar e Hazard (Terry – 7’/2ºP); Fernando Torres (Lukaku – 8’/1ºP). Técnico: José Mourinho

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo