Palmeiras perde invencibilidade diante do Boa, mas segue líder da Série B

Por BAND
Alviverde, de Ananias, vê acabar invencibilidade de 12 jogos, mas mantém a liderança da Série B com folga Alviverde, de Ananias, vê acabar invencibilidade de 12 jogos, mas mantém a liderança da Série B com folga

O Palmeiras perdeu para o Boa Esporte por 1 a 0 neste sábado e viu acabar uma invencibilidade que já durava 12 partidas. O resultado no entanto, não tira o Verdão da liderança da Série B – a equipe soma 40 pontos contra 36 da Chapecoense, vice-líder e que tem um jogo a menos. O Boa encostou no G4 e agora é o quinto colocado, com 29 pontos a um do Paraná, que está em quarto.

O Alviverde volta a campo na quarta-feira, quando enfrenta o Atlético-PR, fora de casa, no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. O Palmeiras venceu a primeira partida por 1 a 0.

Por conta dessa importante partida, o técnico Gilson Klein optou por poupar Fernando Prass, Vilson, Juninho e Leandro. Somaram-se a isso a suspensão de Wesley e o edema na coxa direita de Valdivia. Mendieta também foi preservado, mas ficou no banco e entrou no intervalo. No Boa, o destaque foi Marcelinho Paraíba, autor da assistência para o gol de Fernando Karanga, logo aos dois minutos.

O Palmeiras volta a jogar pela Série B no sábado que vem, às 21h, contra o Ceará, no Castelão. No mesmo dia, o Boa visita o Sport, na Ilha do Retiro, também às 21h.

O jogo

Se faltava entrosamento para o time misto do Palmeiras, o cenário ficou ainda pior logo aos dois minutos de jogo, quando o experiente Marcelinho Paraíba cobrou escanteio da esquerda e Fernando Karanga cabeceou para as redes. A vantagem no placar permitiu que o Boa se fechasse na defesa e apostasse nos contra-ataques diante de um rival desorganizado.

Os comandados de Nedo Xavier apertaram a marcação sobre os homens de frente do Verdão: o meia Felipe Menezes e os atacantes Ananias e Alan Kardec não tiveram espaço. A criação, então, ficou a cargo dos volantes: Eguren, Márcio Araújo e principalmente Charles ficaram muito tempo com a bola nos pés, mas não conseguiram assustar o time da casa.

No intervalo, Gilson Kleina reforçou o setor de meio de campo com Mendieta na vaga de Eguren, que estava pendurado com um cartão amarelo. A criatividade aumentou, mas o técnico não se satisfez e lançou mais um meia logo aos 15 minutos: Ronny na vaga de Charles, outro que já havia sido advertido – e poderia até ser expulso, tamanha a violência da falta que cometeu.

Com três armadores e apenas um jogador de marcação no meio, o Palmeiras abriu espaço para o contra-ataque do Boa. Aos 19 minutos, Marcelinho Paraíba, um dos destaques da equipe mineira, deu passe precioso para Fernando Karanga, que acabou furando.

Mas os paulistas não tinham muito a perder e avançaram com tudo. Serginho, que entrou no lugar de Ananias, teve companhia até do zagueiro Henrique na tentativa de empatar. O capitão abandonou a defesa e posicionou-se quase como um meia-atacante, enquanto os mineiros se limitavam a marcar e contavam até com a ajuda dos gandulas para desacelerar o ritmo.

Francismar e Marcelinho Paraíba, dois dos principais homens de frente do Boa, saíram aplaudidos. O Palmeiras chegava em jogadas esporádicas, como no chute forte que Luis Felipe disparou com a perna esquerda, dando trabalho ao goleiro Douglas, e o tiro colocado de Ronny, já nos minutos finais.

BOA 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Estádio Prefeito Dilzon Luiz de Melo (Melão), Varginha (MG)
Data/Hora: 24/8/2013 – 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Auxiliares: Lorival Cândido das Flores (RN) e Leonardo Mendonça (ES)
Renda e público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Petros, Marcelinho Paraíba (BOA); Eguren, Charles (PAL)
Gol: Fernando Karanga, aos 2’/1ºT (1-0)

BOA: Douglas; Petros, Ciro Sena, Tiago Carvalho e Airton; Rodrigo Souza (Marabá – 49’/2ºT), Betinho, Vinícius Hess e Marcelinho Paraíba (Juba – 36’/2ºT); Fernando Karanga e Francismar (Malaquias – 24’/2ºT). Técnico: Nedo Xavier

PALMEIRAS: Bruno; Luis Felipe, Tiago Alves, Henrique e Fernandinho; Eguren (Mendieta – intervalo), Márcio Araújo, Charles (Ronny – 15’/2ºT) e Felipe Menezes; Ananias (Serginho – 22’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo