"Maratona" da CBF pode parar na Justiça

Por Carolina Santos

A Fenapaf (Federação Nacional dos Atletas Profissionais) entrará na Justiça para impedir que Santos, São Paulo, Internacional, Ponte Preta, Náutico e Atlético-MG passem pela “maratona” de jogos causada por jogos atrasados da 8ª, 10ª e 11ª rodadas do Campeonato Brasileiro.

Pelo menos quatro desses clubes disputarão jogos com intervalo de tempo inferior a 66 horas, o que é vetado pela própria Lei Orgânica da CBF.

“Neste caso, eles estão tentando colocar o regulamento, que fala em 44 horas. Mas há um equívoco, porque essa regra de 44 horas é quando os clubes estão distantes em até 150 quilômetros”, disse o vice-presidente da Fenapaf, Alfredo Sampaio da Silva Júnior.

O problema foi gerado após viagens de Santos e São Paulo à Europa e Ásia para disputa de amistosos. Para o meia Paulo Henrique Ganso, do São Paulo, o excesso de jogos não será problema. O Tricolor enfrentará o Botafogo, no Rio, no próximo dia 1º. Dois dias depois, encara o Náutico, em Recife. No dia 5, volta a São Paulo para receber o Criciúma. E, no dia 8, é a vez de jogar contra o Coritiba, no Paraná.

“Temos de acatar essa decisão, fazer os jogos e vencer”, disse o atleta tricolor.

 

Morumbi reforçado

O São Paulo está perto de anunciar o atacante Welliton, que virá por empréstimo do Grêmio até o fim do ano. Para a defesa, o Tricolor tem praticamente certa a contratação do zagueiro Roger Carvalho, ex-Bologna (ITA). Ele está em recuperação de cirurgia na coxa direita e só deve poder atuar no ano que vem

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo