Botafogo leva gol no fim diante do Inter, mas 3 a 3 devolve time à ponta

Por Tercio Braga

O Botafogo voltou à liderança do Campeonato Brasileiro com gostinho de derrota. Em um jogo com duas viradas no placar e gol aos 48 minutos do segundo tempo, o time alvinegro empatou com o Internacional por 3 a 3, nesta quinta-feira, no Maracanã, e assumiu a ponta isolada após 14 rodadas. Beneficiado pela derrota do Cruzeiro, na quarta-feira, o time carioca abriu um ponto na liderança da competição.

Vitinho abriu o placar no início do jogo para o Alvinegro, mas Scocco marcou dois gols em dois minutos e colocou o Colorado na frente. Na segunda etapa, Seedorf, de pênalti, e novamente Vitinho protagonizaram a virada do Botafogo. Entretanto, no último lance da partida, Fabrício igualou o marcador.

Com o resultado, o Botafogo chegou a 26 pontos, enquanto o Inter se manteve foi a 21, agora na sétima colocação do Brasileirão, com uma partida a menos.

Botafogo sai na frente, mas Inter vira em um minuto

Jogando em casa e com o apoio da torcida, o Botafogo se sentiu na obrigação de buscar o jogo, e deu início aos trabalhos com força total. Em apenas quatro minutos, foram três chutes ao gol do Inter. Não demorou muito para o Alvinegro abrir o placar, em um chute do insistente Vitinho. O Muriel ainda tocou na bola, mas ela morreu no canto direito do goleiro.

Após o gol, o Botafogo resolveu tocar mais a bola, porém esbarrava na falta de categoria dos jogadores de ataque. Com muitos passes equivocados e pouca ambição de construir um placar mais largo, o Alvinegro acabou atraindo o adversário para o ataque.

O Colorado, então, adiantou a marcação e mudou o ritmo do jogo. Em apenas um minuto, os gaúchos viraram o jogo. Scocco, duas vezes, deu a vantagem para o Inter. No gol de empate, ele deu um chute forte ao receber bola rolada de D’Alessandro. Logo em seguida, na saída de bola errada do Botafogo, Damião colocou o argentino na cara do gol. Não deu outra: Inter 2 a 1.

Depois de sofrer os dois gols, o Glorioso parecia atordoado. Percebendo o momento ruim, a torcida alvinegra passou a incentivar mais. O Botafogo buscou o empate ainda no primeiro tempo, com muitas bolas aéreas, mas já era tarde.

Botafogo busca virada, mas é punido com empate

Dentro de seus domínios, o Botafogo tratou de se impor no segundo tempo. No início da segunda etapa, o Inter pareceu disposto a segurar a vantagem no placar, mas não foi possível. O Alvinegro apertou a marcação e colocou mais pressão jogo. Merecidamente, o Glorioso chegou ao gol de empate em outra jogada de Vitinho, que deu excelente passe para Rafael Marques. O atacante driblou Muriel e foi derrubado pelo goleiro do Inter. Pênalti, que Seedorf bateu com categoria no canto direito do arqueiro colorado.

Depois do empate, o jogo incendiou de vez. O Botafogo partiu para cima com ainda mais força e chegou à virada em belíssima jogada de Vitinho. O meia pegou uma bola vadia na entrada da área do adversário e mandou no ângulo direito de Muriel. A bola ainda tocou caprichosamente no travessão antes de morrer no fundo do barbante.

No fim, o Botafogo pensava que conseguiria administrar o resultado, mas acabou surpreendido novamente com um gol no fim partida. Num escanteio em que Renan deu rebote, Fabrício deixou tudo igual. Frustração total no Maracanã para alvinegros.

Na próxima rodada, o Botafogo encara a Portuguesa, no Canindé (SP), domingo, às 16h (de Brasília). Já o Inter enfrenta o Atlético-MG, na mesma data, às 18h30, no Estádio do Vale (RS).

BOTAFOGO 3 X 3 INTERNACIONAL

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 15/8/2013 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)
Cartões Amarelos: Edilson (31’/1°T), Gabriel (8’/2°T), Seedorf (32’/2°T), Henrique (46’/2°T), Juan (46’/2°T)
Público/Renda: 11.033 pagantes/R$ 479.645,00
Gols: Vitinho, aos 9’/1°T (1-0); Scocco, aos 32’/1°T (1-1) e aos 33’/1°T (1-2); Seedorf, aos 19’/2°T (2-2); Vitinho, aos 29’/2°T (3-2); Fabrício, aos 49’/2°T (3-3)

BOTAFOGO: Renan, Edilson, Dória, Bolívar e Júlio César; Marcelo Mattos, Gabriel, Vitinho (Lucas Zen), Seedorf e Rafael Marques, Elias (Henrique). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

INTERNACIONAL: Muriel, Jorge Henrique, Ronaldo Alves, Juan e Fabrício; Ygor, Willians, Alex (Otávio) e D’Alessandro; Scocco e Leandro Damião. Técnico: Dunga.

Loading...
Revisa el siguiente artículo