Em jogo tenso, Brasil bate a Rússia na 2ª rodada do Grand Prix

Por Tercio Braga
Brasileiras comemora a segunda vitória seguida em Campinas | Divulgação Brasileiras comemora a segunda vitória seguida em Campinas | Divulgação

A seleção brasileira feminina de vôlei entrou em quadra neste sábado, pela segunda rodada do Grand Prix, para enfrentar a Rússia, na Arena Amil, em Campinas. Novamente com o ginásio lotado, as brasileiras não caíram na provocação das russas e venceram a partida por 3 sets a 2.

No primeiro set, o Brasil começou impondo seu jogo com Juciely e Fernanda Garay novamente no comando do ataque brasileiro. As russas equilibraram as ações, com a sua principal jogadora, a número 8, Goncharova, que foi muito eficiente em suas jogadas de ataque.

A partir da metade do primeiro set, as russas tentaram abrir vantagem no placar, mas com a entrada da oposta Sheilla e da levantadora Fabíola, o Brasil conseguiu manter o jogo equilibrado chegando a marca de 24 a 24, após dois set points a favor das russas. No fim, as brasileiras não conseguiram imprimir o mesmo ritmo e abriu espaço para Kosheleva que marcou dois pontos na reta final e fez com que a Rússia vencesse o primeiro set por 28 a 26.

O segundo set começou com domínio russo que chegou a abrir 4 a 1 no placar, mas logo Gabi e Fernanda Garay esboçaram reação e fizeram com que o Brasil equilibrasse a partida até passar à frente do marcador em 13 a 12, no erro de saque de Chaplina. A partida manteve-se parelha até os momentos finais, quando a Rússia tentou dominar os ataques por intermédio de Goncharova, que foi parada por um furacão chamado Fernanda Garay, que não poupou sua garra e com ataques fuminantes e bloqueio consistente, foi vital para que o Brasil terminasse a parcial com a vitória em 26 a 24, empatando a partida em 1 a 1.

As russas realmente estavam com muita sede de vitória, principalmente após a derrota para os Estados Unidos em sua estreia no Grand Prix. Terceiro set novamente acirrado, e nenhuma das equipes conseguiam uma longa vantagem na pontuação e se alternavam no comando das parciais.

Em um bloqueio de Monique e Juciely, e contando com o apoio da torcida, as brasileiras conseguiram abrir 11 a 9, o que foi o estopim para o Brasil começar a construir sua vitória no terceiro set. As russas não conseguiam acertar o passe nos saques da central Adenizia e a vantagem só aumentava, chegando a margem de seis pontos para as brasileiras (16 a 10).

O técnico russo Iuriy Marichev sentiu a necessidade de rodar seu time, e colocou a jovem Malykh no lugar de sua maior pontuadora na partida, Goncharova. Mas de nada adiantou a mudança, já que do outro lado, com apenas 19 anos, Gabi foi determinante para que o Brasil finalizasse a parcial em 25 a 19 (2 a 1 para o Brasil).

O show de brasileiras e russas não parou por aí. Com o retorno da provocadora Goncharova, o trio (Gabi, Juciely e Fernanda Garay) não conseguiu manter o mesmo aproveitamento do segundo e terceiro set, e os erros foram fatais para que as russas empatassem a partida com a parcial de 25 a 22.

No quinto e decisivo set, o apoio da torcida foi o combustível necessário para que a equipe campeã Olímpica, mostrasse de fato todo o seu poder de fogo, e sem muitas dificuldades, fecharam o jogo com ponto de Monique no bloqueio em 15 a 8.

O Brasil retorna à Arena Amil, neste domingo, para enfrentar a seleção dos Estados Unidos, às 10 horas, horário de Brasília.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo